A Contraf-CUT e a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil encaminharam, na última quinta-feira, 4, um ofício ao banco solicitando o agendamento de uma mesa de negociação específica para tratar das paralisações dos dias 15 de março, 31 de março e da Greve Geral de 28 de abril. Os dias de mobilização contaram com a adesão de diversas categorias profissionais em defesa dos direitos dos trabalhadores.

“Já havíamos solicitado a negociação das faltas por ocasião das paralisações contra a aprovação, pela Câmara dos Deputados, da contratação irrestrita de trabalhadores terceirizados. Agora, queremos negociar também o dia parado por conta da Greve Geral”, afirmou o diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários, Wagner Nascimento, lembrando que houve grande adesão da categoria, em todo o país, tanto às paralisações quanto à Greve Geral.

Os bancários protestam, juntamente com outras categorias, contra o PL 6787/2016 (reforma trabalhista), a PEC 287/2016 (reforma da Previdência) e diversos outros projetos que tramitam no Congresso Nacional e que podem retirar diretos dos trabalhadores brasileiros.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: