Foto: Guina Ferraz

Em reunião realizada nesta quinta-feira dia, 23, por solicitação das entidades representativas dos funcionários, o Banco do Brasil apresentou as mudanças recentes e as que poderão ocorrer na área de logística. A alteração será realizada nos Centros de Operações e Logística (CENOPs) nas cidades de Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo e nas Gerências Regionais de Apoio aos Negócios e Operações (GENOPs) nestas e em outras praças.

Os representantes dos funcionários questionaram o banco sobre a movimentação de quadro e se haverá redução de pessoas e de cargos. O BB afirmou que não haverá nenhuma perda nos CENOPs.

Além disso, foi informado que os Centros serão de segregação de serviços, o que significa que cada Centro será responsável por um determinado tipo de serviço. O BB afirmou que a especialização de compras e contratações ficará em São Paulo, a centralização da demanda e administração de patrimônio em Curitiba e, em Belo Horizonte, ficará a administração de contratos.

O banco foi questionado ainda sobre o destino da área de engenharia que hoje está dividida entre os CENOPs e as GENOPs. Segundo o BB, foi constituído, nas GENOPs, um Grupo de Trabalho mas ainda não há uma definição. O banco já adiantou, porém, que não haverá perdas para os funcionários, apenas mudança na estrutura de governança.

Os representantes dos funcionários cobraram também do banco uma posição sobre a reposição das vagas abertas pelo Plano de Aposentadoria Incentivada (PAI) nestas áreas e o BB informou que não está nomeando funcionários nas vagas para que se trabalhe melhor essa alocação. Sobre a reposição geral, o banco informou que tem um grupo de trabalho estudando as reposições e que estas vagas serão prioritariamente para as agências.

O diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Wagner Nascimento, destacou que a reunião foi positiva, já que a questão central é a garantia dos salários e dos cargos dos funcionários. “Outra situação que sempre nos preocupa é que em toda reestruturação que envolve mudança de cargos somos remetidos ao novo plano de funções, que traz problemas de perda de remuneração. Continuaremos acompanhando os desdobramentos para garantir a proteção aos funcionários”, afirmou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: