Preocupados com o resultado negativo do HSBC no terceiro trimestre de 2013, e sabendo que a direção do banco no Brasil encontrava-se reunida na matriz em Londres, representantes dos funcionários entraram em contato com os dirigentes da empresa nesta quinta-feira, 20, para buscar a garantia de que os funcionários não fiquem sem PLR caso o resultado anual seja desfavorável à distribuição dos lucros. O funcionário do HSBC e diretor do Sindicato, Geraldo Rodrigues, esteve presente na reunião de São Paulo.

O diretor de RH do HSBC, Juliano Ribeiro Marcílio, que estava na reunião de Londres, informou que levará a reivindicação para a direção mundial do banco e dará uma resposta na segunda-feira, 24 de fevereiro. Ele acrescentou ainda que o HSBC divulgará o balanço mundial na própria segunda-feira e o resultado da filial brasileira, provavelmente, na quinta-feira, 27.

A decisão de fazer o contato com a direção do banco na matriz londrina foi tomada durante reunião da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, realizada nesta quinta na sede da Contraf-CUT.

O último resultado divulgado pelo HSBC, do terceiro trimestre de 2013, apontou prejuízo de R$ 196,4 milhões, o que poderá trazer prejuízo para o pagamento da PLR.

O diretor do Sindicato, Geraldo Rodrigues, ressaltou que as funcionárias e os funcionários do HSBC sempre se empenharam  para manter o banco entre os maiores do país e que  é mais do que justo que sejam valorizados pelo  seu suor e trabalho. “Aguardamos a resposta do HSBC e esperamos que os esforços dos bancários sejam recompensados”, afirmou.

Compartilhe: