Foto: Jailton Garcia – Contraf-CUT

Em reunião realizada no dia 23 de março, em São Paulo, representantes dos funcionários do Itaú discutiram com o banco sobre a questão do emprego e trataram de uma agenda sindical permanente a ser estabelecida com a instituição financeira. A funcionária do Itaú e diretora do Sindicato, Marilene Gualberto, integrou a mesa.

Na ocasião, o banco apresentou o número de exonerações ocorridas no ano de 2015. Segundo o Itaú, o índice ficou abaixo de 10%. Os representantes dos funcionários, porém, consideraram a porcentagem muito alta diante dos altos lucros obtidos pelo banco. Em 2015, o Itaú obteve lucro recorde de R$ 23,8 bilhões.

Devido à onda de demissões do final do ano passado, os representantes dos bancários cobraram do Itaú reuniões periódicas para tratar da manutenção de empregos. Os trabalhadores denunciam que o número de demissões vem crescendo devido à implementação de agências digitais, além da reestruturação na Atec (área de tecnologia).Com isso, a diminuição da rentabilidade das agências de varejo vem diminuindo os postos de trabalho.

O banco propôs manter uma mesa de negociações para debater vários pontos, tais como jornada de trabalho, saúde, emprego, agências digitais, entre outros. A expectativa dos representantes dos bancários é de que estas reuniões aconteçam entre uma ou duas vezes por mês.

Sobre o tema jornada de trabalho, o Itaú anunciou que está aperfeiçoando o novo modelo do ponto eletrônico, para evitar que os funcionários ultrapassem duas horas excedentes (horas-extras).

A Contraf-CUT entregou também um ofício solicitando do banco as seguintes informações: o número de agências digitais em funcionamento; endereço de todas essas agências; número de empregados lotados por agência digital, bancários e terceirizados, e a jornada de trabalho de todos os trabalhadores lotados nas agências digitais. O objetivo é analisar os dados para debater com o banco a jornada de trabalho e a questão da saúde dos trabalhadores.

A próxima reunião entre os representantes dos funcionários e o Itaú será realizada no início de abril.

Lucro X Demissões

O Itaú obteve em 2015 o maior lucro anual da história de um banco registrado até hoje, de R$ 23,8 bilhões, aumento de 15,6% em relação ao resultado do ano anterior, superando seu próprio recorde de 2014.

Apesar do excelente desempenho, o banco reduziu 2.711 postos de trabalho, contribuindo para o aumento do desemprego no país e para a piora das condições de trabalho em suas unidades.

Segue, abaixo, o ofício dos representantes dos funcionários entregue ao Itaú:

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: