Imagem: Freepik

 

A Comissão de Organização dos Empregados do Santander (COE Santander) se reuniu com representantes do banco, na última segunda-feira, 5, para debater a pauta de saúde. O banco apresentou as seguintes respostas para a pauta de reivindicações enviada previamente pela representação dos bancários:

Emissão de CAT

Os sindicatos têm recebido denúncias de atrasos ou até mesmo de não emissão de CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) no Santander.

O banco informou que o próprio trabalhador pode solicitar a emissão pelo Portal RH externo ou via App. É necessário encaminhar atestado médico, de preferência com indicação de médico assistente para a emissão da CAT, e também preencher o formulário disponível no portal. Mesmo sem indicação de médico assistente, a partir da solicitação no sistema, o médico do trabalho analisará se cabe ou não a emissão da CAT.

Os representantes dos funcionários solicitaram o envio do modelo do formulário para que sejam verificadas possíveis melhorias, assim como que o Santander faça um guia informativo sobre o tema. O banco se comprometeu a analisar as demandas.

Atestado Médico

Muitos bancários do Santander acabam por ficar com registro de falta pelo fato de não cadastrarem corretamente o atestado médico ou por conta de gestores que também não o fazem no prazo necessário. Qualquer funcionário pode cadastrar o atestado no App ou no RH Externo, em até 48 horas. Em caso de internação, ou de qualquer imprevisto, o atestado também por ser encaminhado por e-mail ao gestor.

O banco informou que envia e-mails a cada cinco dias para lembrar trabalhadores que estão com faltas e não apresentaram atestados.

É importante que o bancário respeite os prazos e, caso tenha dificuldades no acesso ao sistema, que entre em contato por e-mail com o gestor ou com o RH.  A declaração de horas também deve ser cadastrada no App ou Portal RH Externo.

Exame de retorno

O Santander realizou a convocação para exame de retorno de diversos trabalhadores, mesmo com perícia agendada no INSS. Segundo o banco, o procedimento foi realizado em 2020 por conta dos atrasos do INSS, decorrentes da pandemia, mas que a situação já foi regularizada. Entretanto, é dever do funcionário manter o Santander informado e com atestados em dia, assim como das datas de agendamento no INSS.

Em casos nos quais toda a documentação foi enviada, está em dia, e ainda assim houve a convocação para exame de retorno, o bancário deve entrar em contato com o RH e, a depender da avaliação, pode ser dispensado do exame de retorno.

Em casos em que houver alta do INSS, porém o pedido do médico assistente for pela manutenção do afastamento, o exame de retorno é necessário e o trabalhador deve apresentar laudos e atestados atualizados, reiniciando o procedimento de afastamento.

Autonomia do médico do trabalho

O médico do trabalho que realiza exames periódicos, demissionais e de retorno possui total autonomia para avaliar o trabalhador e suas possíveis doenças e cabe a ele determinar se o mesmo está apto ou inapto. Para isso, deve se ater apenas ao quadro clínico e exames apresentados. Existe inclusive legislação que define a atuação e a prerrogativa médica.

Caso o trabalhador passe por constrangimentos, indução ao retorno, questionamento em relação a salário, ou seja induzido a assinar o ASO em branco, antes de passar pelo médico, deve acionar o Sindicato para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Vacina para H1N1

Após cobrança dos trabalhadores, o Santander confirmou que iniciará o calendário de vacinação contra a gripe (H1N1) na segunda quinzena de abril.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com SP Bancários

 

Compartilhe: