A Contraf-CUT, Fenae, CUT, CTB, Intersindical e CSP-Conlutas criaram um comitê em defesa da manutenção da CAIXA 100% pública. A ideia é unificar e fortalecer as ações contra a proposta de abertura de capital do banco. Essa foi uma das deliberações do Ato em Defesa da Caixa 100% Pública, realizado na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 25. O evento foi promovido pela Contraf/CUT, pela Fenae e pelo gabinete da deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

Os trabalhadores defendem que o Brasil precisa de uma instituição pública que continue revertendo seu lucro para o Estado investir em políticas públicas. O fortalecimento e a manutenção da CAIXA 100% pública permitem que seja gerado crédito para o desenvolvimento econômico e que exista contraposição à ganância dos bancos privados.

Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae, lembrou que a CAIXA é protagonista no desenvolvimento social do país. “Ela dobrou de tamanho, abriu mais agências, expandiu sua atuação, e quem ganhou foi a sociedade”, afirmou.

Ele disse que o debate no parlamento é importante, mas defendeu que a discussão seja levada também para Câmaras de Vereadores, Prefeituras, associações de moradores, entre outros segmentos. “É uma luta coletiva. Precisamos ter determinação, e esse comitê será fundamental para a vitória”, frisou.

Para a deputada Erika Kokay, que é empregada do banco e ex-presidenta do Sindicato dos Bancários de Brasília, defender a empresa 100% pública é defender o patrimônio brasileiro. “A CAIXA é muito valiosa para o povo. Portanto, que não toquem nesta empresa, que é a principal articuladora das políticas públicas que mudaram a história do nosso país, sobretudo nos últimos 12 anos. Com nossa mobilização, não vamos permitir que esta instituição tenha seu capital aberto”, declarou.

Durante o ato, ocorreram com pronunciamentos das centrais sindicais e de dirigentes da Fenacef, Fenag, AudiCaixa, Aneac e Advocef. O Sindicato esteve presente na mobilização, que contou também com representantes de outras entidades sindicais de todo o país e de algumas Apcefs.

Comitê

A coordenação do Comitê em Defesa da Caixa 100% pública já agendou a primeira reunião. Ela será realizada no próximo dia 6 de março, com a participação de representantes da Contraf-CUT, da Fenae e das quatro centrais sindicais. O objetivo é debater e elaborar um calendário com novas mobilizações, no sentido de unificar e fortalecer o movimento.

Frente Parlamentar

Vários parlamentares prestigiaram o evento na Câmara. O deputado federal Daniel Almeida (PCdoB-BA) anunciou que já está coletando assinaturas para formar uma Frente Parlamentar em Defesa da Caixa 100% Pública. “Não é tolerável que se tente abrir o capital no momento em que o banco está em ampla expansão. A CAIXA já sofreu outros ataques e os empregados e a sociedade resistiram. Seremos capazes, mais uma vez, de evitar esse risco para o Brasil e para os trabalhadores”, enfatizou o parlamentar.

Também participaram do ato a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) e os deputados federais Luiz Couto (PT-PB), Assis Carvalho (PT-PI), Chico Lopes (PCdoB-CE), Davidson Magalhães (PCdoB-BA) e Luciana Santos (PCdoB-PE).

Todos foram unânimes em defender a importância da CAIXA continuar 100% pública, sempre a serviço do Brasil e dos brasileiros, e devem integrar a Frente Parlamentar que está sendo criada.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Fenae

Compartilhe: