Representantes sindicais de base do Banco do Brasil, eleitos em suas unidades de trabalho, participaram de um encontro nesta quarta-feira, 19 de dezembro, na sede do Sindicato. Durante o evento, que foi também a diplomação dos representantes, foram discutidos temas como a Previ, a conjuntura política e econômica do Brasil e a Cassi.

Eleitos pelos funcionários entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro, os representantes sindicais de base tomaram posse, efetivamente, no dia 1º de dezembro. O mandato vai até 30 de novembro de 2019.

Para falar sobre a Previ, esteve presente, no encontro, o diretor de Seguridade do fundo de pensão dos funcionários do BB, Marcel Barros. Além de esclarecer dúvidas dos representantes sindicais de base sobre os planos de previdência e sobre perspectivas futuras para a seguridade social no Brasil, Marcel destacou a importância dos delegados sindicais para a luta dos bancários.

“Ser um delegado é saber o que está ocorrendo no país, saber o que ocorre na Cassi e na Previ. Não é um papel simples e é muito importante que procurem informações e conversem com os colegas. Quando temos ameaças contra nossos direitos, sejam eles quais forem, temos que estar unidos para resistir”, afirmou o diretor da Previ.

Já para falar sobre conjuntura, o Sindicato convidou o supervisor técnico do Dieese em Minas Gerais, Fernando Duarte. O economista realizou uma breve apresentação para os bancários sobre o histórico do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos) e sua importância para embasar a luta sindical no Brasil.

Fernando destacou que os sindicatos são entidades de extrema importância para equilibrar a correlação de forças nas negociações entre trabalhadores e patrões. “É importante termos consciência de que a unidade dos trabalhadores é fundamental e não se deve se dar apenas dentro das categorias, mas de forma coletiva. Precisamos fazer uma reflexão profunda sobre o processo de desorganização das relações de trabalho que vem ocorrendo em todo o mundo, com ataques às instituições que põem regra no capital. Isto é muito sério e todos nós trabalhadores temos que entender qual é o jogo que está sendo jogado”, explicou.

Ao final do evento, o diretor do Sindicato e coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Wagner Nascimento, também relatou aos representantes sindicais de base o que vem ocorrendo nas negociações sobre a sustentabilidade da Cassi. Um evento específico para debater a caixa de assistência deve ser agendado em breve.

O funcionário do BB e diretor da Fetrafi-MG/CUT, Rogério Tavares, ressaltou que o Sindicato dos Bancários de BH e região conseguiu eleger o número máximo de Representantes Sindicais de Base permitido para sua base. “Isso mostra que a categoria está disposta a lutar pelos seus direitos e em defesa do Banco do Brasil, da Cassi e da Previ. E o Sindicato mostra sua força na mobilização da categoria. Parabéns a todos e todas que se unem na luta por Nenhum Direito a Menos”, afirmou.

 

 

Compartilhe: