Na terceira reunião realizada nesta quinta-feira, 28 de janeiro, por videoconferência, o Grupo de Trabalho (GT) Saúde Caixa debateu as premissas atuariais para o Saúde Caixa e iniciou os estudos para a construção de uma proposta de custeio para o plano. Os representantes dos empregados no GT reforçaram mais uma vez a necessidade de transparência nas informações do plano que serão apresentadas.

“Temos reforçado esse pedido em toda reunião. A transparência nos dados é fundamental para que a gente possa, de forma colaborativa, construir uma alternativa de custeio que mantenha o nosso plano sustentável e acessível para todos os empregados e os aposentados”, afirmou a coordenadora do GT e da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Fabiana Uehara Proscholdt.

Outro ponto que está em debate no GT é a preparação de um termo de confidencialidade. O documento deverá ser assinado por todos os participantes do grupo de trabalho.

Durante a reunião, a CAIXA informou que aproximadamente dois mil empregados já solicitaram a entrada no Saúde Caixa. A expectativa do banco é para que pouco mais de três mil empregados façam a adesão.

A reabertura do plano aconteceu no dia 8 de janeiro, após muitas reivindicações dos empregados, um dos principais pontos da Campanha Nacional de 2020.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com a Contraf-CUT

 

Compartilhe: