Foto: Jailton Garcia – Contraf-CUT

Em reunião realizada nesta terça-feira, 11, em São Paulo, entre a COE (Comissão Organizativa dos Empregados) do Bradesco e representantes do banco, foram asseguradas duas importantes conquistas aos funcionários: a possibilidade de flexibilização de valores entre vale-refeição e vale-alimentação, além da licença-adoção tanto para casais héteros como também para homoafetivos. O Sindicato participou da reunião representado pelo funcionário do Bradesco e diretor, Welington Cruz Marinho.

Licença-adoção

O Bradesco informou que vai atender à reivindicação do movimento sindical e assegurar aos funcionários a licença-adoção, de igual período da licença-maternidade – que no caso das bancárias é ampliada para 180 dias, conforme Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. Ela valerá tanto para casais héteros quanto para homoafetivos, incluída também a estabilidade provisória no emprego até 60 dias após o término da licença.

Para casais héteros, a mãe terá direito ao período da licença-adoção, que é de quatro meses mais dois quando solicitado, e o pai à licença-paternidade ampliada de 20 dias. Já no caso dos homoafetivos, apenas uma pessoa do casal terá direito à licença-adoção.

A conquista é fruto da luta dos trabalhadores e valoriza a diversidade da categoria, respeitando as diferentes configurações familiares.

Os representantes dos funcionários cobraram que, nos casos de casais homoafetivos, uma das pessoas tenha direito à licença-adoção, correspondente ao período da licença-maternidade ampliada, e a outra usufrua da licença-paternidade ampliada. O banco afirmou está avaliando a questão.

VA e VR

O Bradesco também atendeu à reivindicação dos bancários para que seja possível escolher quanto receber no vale-alimentação e no vale-refeição, realizando a flexibilização de valores entre ambos.

Na reunião, o banco informou que está em desenvolvimento uma alteração no SAP (Sistema Interno para Funcionários) para que seja permitido ao bancário escolher, até o dia 10 de cada mês, qual valor receberá em cada cartão no crédito seguinte, realizado no penúltimo dia útil. O bancário poderá migrar qualquer valor que desejar entre os cartões. Segundo o banco, a migração de valores poderá ser estendida também para a 13ª cesta alimentação e tem previsão de estar disponível a partir da segunda semana de setembro.

Outras questões

Na reunião, também foram abordadas outras questões de interesse dos bancários do Bradesco, como o parcelamento do adiantamento de férias, vale-cultura e demissões.

Sobre o parcelamento do adiantamento de férias em até dez vezes sem juros – antiga reivindicação do movimento sindical para que o trabalhador não fique desassistido no retorno ao trabalho – os representantes do banco informaram que, neste momento, não será possível atender a demanda. Os trabalhadores reforçaram que continuarão cobrando o banco em relação a este assunto.

Quanto ao vale-cultura, os integrantes da COE levaram ao conhecimento do Bradesco o fato de que bancários estão queixando-se de que não conseguem utilizar os créditos que possuem no cartão, que consta como cancelado. Os representantes do Bradesco esclareceram que, para usar os créditos antigos, o bancário deve entrar em contato com a empresa Alelo e solicitar a reativação.

A categoria tem cobrado do Ministério da Fazenda a continuidade do vale-cultura, que foi uma conquista dos trabalhadores. Os bancários foram a primeira categoria a assegurar o benefício em Convenção Coletiva de Trabalho.

Para o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Welington Cruz Marinho, “somente com a mobilização e a pressão dos bancários e bancárias conseguiremos fazer com que o governo ilegítimo volte a dar o incentivo às empresas e, com isso, que não retire mais uma conquista da classe trabalhadora”.

A COE voltou a cobrar, também, o fim das demissões no Bradesco. Nos últimos três meses de 2016, o banco fechou 1.129 postos de trabalho em todo o Brasil. O Bradesco insiste que as demissões se relacionam a aposentadorias e funcionários que pedem para deixar o emprego, mas o que se observa é o crescente corte nos empregos. Por isso, foi cobrado do banco que seja apresentado o quadro de admissões no primeiro trimestre de 2017.

Welington Cruz Marinho ressaltou os avanços, que foram fruto da luta dos trabalhadores. “As conquistas na flexibilização dos tíquetes e na extensão do benefício de licença-adoção para os casais homoafetivos deixam claro que só a mobilização fará com que o Bradesco avance e atenda às demandas dos funcionários presentes nos itens da pauta específica de reivindicações”, afirmou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com SEEB-SP

Compartilhe: