De 27 de abril a 4 de maio, os associados da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) decidem sobre a aprovação do relatório do exercício de 2014 da entidade. A Cassi tem uma reserva consolidada de aproximadamente R$ 1,6 bilhão, mas apresentou um déficit de R$ 108 milhões no ano de 2014.

Em relação ao Cassi Família, é importante destacar que este plano permite reajustes das mensalidades, que visam restabelecer, anualmente, o equilíbrio atuarial entre a receita e as despesas para oferecer a assistência contratada. Em 2014, houve um aumento de 12,7% das despesas, contra um aumento de 16,8 % da receita. O resultado deste plano foi positivo em R$ 68 milhões.

No Plano de Associados, cuja contribuição está atrelada ao salário do funcionário do BB da ativa e dos aposentados, as despesas assistenciais aumentaram 9,3% em 2014. As receitas foram impactadas pelo fim do BET. Descontadas essas contribuições extraordinárias, as receitas do Plano cresceram 8%. Levando esses fatores em consideração, o déficit registrado foi de R$ 177 milhões. As reservas atingiram cerca de R$ 700 milhões, sendo que, deste montante, aproximadamente R$ 400 milhões referem-se às reservas legais e R$ 300 milhões às reservas livres, que podem ser utilizadas para o pagamento de despesas assistenciais do Plano.

O relatório, o balanço e as contas de 2014 foram aprovados pelos conselhos Deliberativo e Fiscal e pela auditoria externa da Cassi. Os representantes eleitos pelos associados votaram favoravelmente ao relatório apresentado pela Diretoria, entendendo que reflete corretamente os números da Cassi.

O direito de decidir sobre as contas da gestão do seu plano de saúde é uma conquista do funcionalismo do BB. Podem votar os titulares do Plano de Associados, funcionários da ativa e aposentados do Banco do Brasil.

Sindicato recomenda aprovação

Para José Adriano, Conselheiro Deliberativo eleito da Cassi e diretor do Sindicato, é importante a aprovação do Relatório Anual 2014.  O diretor destaca também que são grandes os desafios da Cassi em 2015, como discutir o custeio, ampliar a atenção integrada à saúde e cobrar do BB negociação e comprometimento com os problemas da Cassi. “A participação de sindicatos, entidades e associados será muito importante para chegarmos a uma solução para nossa Caixa de Assistência”, afirma.

Compartilhe: