O Sindicato dos Bancários de BH e Região apoia a Chapa 1 “Movimento pela Funcef” porque os seus integrantes são os mais qualificados para administrar  a Fundação que em um dos maiores patrimônios entre os fundos de pensão do Brasil e do mundo. E esse patrimônio precisa ser administrado da melhor forma possível para que garanta a aposentadoria dos empregados no momento em que eles mais precisam.
E a melhor maneira de essa administração continuar no rumo certo é com a participação de seus associados e de suas entidades representativas. E é essencial votar na eleição dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, que acontecem agora, pois são os órgãos que determinam as diretrizes do Fundo e fiscalizam os atos da diretoria. Por isso, centenas de sindicatos de todo o País e entidades nacionais de representação dos empregados, como Fenae, Contraf-CUT, Fenacef e Fenag, entre outras, apoiam a Chapa 1 “Movimento pela Funcef” para as vagas de representantes dos empregados nos conselhos Fiscal e Deliberativo.
Foi a participação dos associados, de seus representantes e das entidades de defesa do trabalhador que garantiram, por exemplo, as mudanças necessárias nos planos de benefício, a gestão paritária e a boa administração da Funcef.
É claro que ainda existem problemas a ser resolvidos para melhorar nosso Fundo de Pensão, mas o melhor caminho para conquistar essas mudanças é com participação e com a escolha de pessoas experientes e que já demonstraram seu compromisso com os empregados.

 

Saiba quem são os integrantes da Chapa 1:

 
Conselho Fiscal
Titular
Regina Maria da Costa Brito Pereira

Aposentada, é presidente da Associação dos Economiários Aposentados de Goiás e Tocantins, AEA- GO e TO, e foi presidente da Apcef-GO. É suplente do Conselho Fiscal da Funcef, membro do Conselho Fiscal da Fenacef, do Comitê Técnico de Benefícios da Funcef e do Comitê Técnico da Caixa Saúde em Goiás.
Conselho Fiscal
Suplente
Francisco Vagner Dantas Leite 
Ingressou na Caixa em 1976 e aposentou-se em 2009, tendo atuado como gerente de agência, gerente regional, gerente financeiro e gerente geral. Graduado em direito e Economia, com pós-graduação em Direito Constitucional. É presidente da Associação Cearense dos Economiários Aposentados, Acea-CE e suplente do Conselho Fiscal da Fenacef.
Conselho Deliberativo
Titular
Antonio Luiz Fermino
Empregado da Caixa desde 1990, é lotado na Gilog-CT e formado em Ciências Contábeis. Faz parte da direção do Sindicato dos Bancários de Curitiba desde 1993, tendo ocupado as secretarias de Bancos Públicos e Finanças. Atualmente é secretário geral. Participou do Conselho Deliberativo e faz parte do Comitê de Benefícios da Funcef. Na APCEF/PR já foi do Conselho Fiscal e é membro eleito do Conselho Deliberativo desde 2001.
Conselho Deliberativo
Suplente
Marco Antonio de Oliveira Moita 
Está na Caixa desde 1981, lotado como gerente geral no PAB Justiça Federal/RJ. É formado em Administração de Empresas. É ex-presidente da Agecef/RJ e ex- diretor da Fenag. Atualmente é diretor de Relações Políticas e Institucionais da Agecef/RJ e suplente do Conselho Deliberativo da Funcef.

 

 

Conheça os compromissos da CHAPA 1

 

Apenas empregados da Caixa em conselhos e na diretoria da Funcef
A gestão da Funcef deve estar a cargo dos empregados da Caixa, exclusivamente. A exemplo dos representantes eleitos entre os associados, as indicações da patrocinadora devem passar a ser também entre seus empregados.
Assessoramento
Oferecer aos associados assessoramento ágil na solução de problemas junto a órgãos como a Receita Federal, o INSS, entre outros.
Atitude proativa em relação às ações judiciais
Instituir no âmbito da Funcef a Câmara de Negociação e Conciliação, com o propósito de antecipar solução de questões que possam se desdobrar em demandas jurídicas e de encerrar ações de caráter previdenciário já impetradas por associados contra a Fundação. A composição dessa Câmara deverá ser paritária, conforme proposição do último Conecef para comissão com essa mesma finalidade.
Defender CTVA como verba salarial
Atuar para que o Complemento Temporário Variável de Ajuste de Mercado (CTVA) seja considerado verba salarial em todos os planos de benefícios da Funcef, como já acontece no Novo Plano.
Defesa do Fundo para Revisão de Benefícios
Defender o Fundo para Revisão de Benefícios como instrumento permanente da política de aumentos reais para os benefícios saldados e para as aposentadorias e pensões. Trata-se da preservação do artigo 115 do regulamento do plano saldado e do Novo Plano.
Defesa dos associados do REG/Replan não-saldado
Condenar e denunciar qualquer tipo de discriminação da Caixa aos associados que decidiram permanecer no REG/Replan não-saldado e defender sempre o equilíbrio e a sustentabilidade do plano.
Educação previdenciária
Propor e apoiar iniciativas voltadas para a educação previdenciária, com o propósito de elevar o grau de conhecimento dos participantes a respeito de todo o sistema ? Previdência Complementar e da Previdência Social.
Fim ao voto de Minerva
Inserir no estatuto da Fundação novas travas ao uso do voto de Minerva pela Caixa em decisões dos órgãos de gestão. O movimento dos associados já conquistou restrições a esse expediente nos seguintes casos: mudança de estatuto, mudança de plano de benefícios e retirada de patrocínio. Além de restringir ainda mais, via estatuto, as possibilidades de se fazer valer o voto de Minerva, os representantes eleitos pelos associados se engajarão também na luta por mudança da legislação, uma vez que essa prerrogativa da patrocinadora está prevista na Lei Complementar 108, de 29 de maio de 2001.
Fortalecer mobilização relativa ao contencioso jurídico
Exigir que a Caixa assuma como exclusivamente sua a responsabilidade por ações judiciais de cunho trabalhista, como as relacionadas a auxílio alimentação, cesta-alimentação, abono, horas extras e CTVA, entre outras. Cabe à patrocinadora arcar com o ônus das ações contra os planos de benefícios da Funcef, uma vez que as mesmas decorrem de alterações unilaterais em sua política de pessoal.
Fortalecimento do Credinâmico
Promover adequações de regras e condições dos empréstimos pelo Credinâmico, de forma a tornar a linha de crédito cada vez mais adequada ao perfil dos associados da Funcef. Buscar, por exemplo, sustentação jurídica para a mudança da atual regra de cobrança do IOF.
Fortalecimento dos Comitês de Assessoramento Técnico
Atuar em permanente sintonia com os comitês de assessoramento técnico de Benefícios, de Ética, de Investimentos e de Qualidade das Informações Contábeis e de Auditoria, de forma a valorizá-los e fortalecê-los como instrumentos da participação dos associados na gestão da Fundação.
Incorporação do pessoal da Prevhab
Atuar pela imediata incorporação, pela Funcef, de todos os participantes da Prevhab que queiram fazer essa opção.
Incorporação do REB pelo Novo Plano
Exigir dos órgãos governamentais urgência na conclusão do processo de incorporação do REB ao Novo Plano. Fortalecer mobilizações e iniciativas junto ao Congresso para pressionar o Ministério da Fazenda e a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) para que liberem a incorporação.
Informação ao associado
Conferir agilidade e eficiência cada vez maiores à comunicação com os associados.
Justiça às mulheres pré-79
Defender para as mulheres pré-79, aposentadas proporcionalmente, tabela com a mesma progressividade estabelecida para os homens.
Melhores benefícios
Em debates nas instâncias decisórias da Fundação, sobre destinação de resultados, conferir prioridade à melhoria dos benefícios a todos os participantes de todos os planos.
Todos na Funcef
Propor e apoiar iniciativas que levem de forma clara e persistente aos empregados da Caixa as vantagens de se associarem à Funcef, para que todos se sintam motivados a aderir o quanto antes à Fundação.
Transparência, segurança e qualidade aos investimentos
Intervir no processo de elaboração da política de investimentos da Fundação, de forma a assegurar-lhe total transparência. A gestão dos recursos devem se pautar pela busca do máximo em segurança e eficiência.

Compartilhe: