Entre os dias 2 e 6 de fevereiro, funcionárias e funcionários da ativa do Banco do Brasil vão às urnas novamente para eleger, através de voto direto, seu representante no Conselho de Administração (Caref), instância máxima de deliberação do BB. Esta é uma conquista da mobilização dos trabalhadores e será a segunda eleição desde que a representação do funcionalismo no Conselho foi reinstaurada, em 2010, durante o governo Lula.

O Sindicato dos Bancários de BH e Região apoia a eleição de Rafael Matos, matrícula F8369846, pois o bancário já provou que é quem reúne as melhores condições de levar até a alta direção do BB a voz do funcionalismo e defender, no colegiado de decisões estratégicas do banco, a visão dos funcionários. O candidato é apoiado pela grande maioria das federações e sindicatos de bancários de todo o Brasil e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, reafirmou a importância de eleger um representante dos interesses dos trabalhadores para o Conselho de Administração. “Em um cenário de disputa política e de tensão em relação aos direitos dos trabalhadores, é essencial a reeleição de Rafael Matos, que tem experiência na luta sindical e está comprometido com a defesa dos interesses dos trabalhadores. O Sindicato apoia a candidatura de Rafael para que possamos continuar fazendo valer nossa voz no Conselho de Administração do BB em defesa de funcionárias e funcionários do banco e de seu importante papel como banco público”, ressaltou.

Melhorar as relações de trabalho

A relação do banco com os funcionários está muito ruim e precisa deixar de ser autoritária e se pautar pela transparência, pelo respeito e pelo reconhecimento ao esforço de todos os que constroem o banco. Rafael continuará defendendo, no Caref, as melhorias nas relações de trabalho, o combate ao assédio moral e às metas abusivas e defenderá maior participação das mulheres nos cargos diretivos.

“Rafael também defenderá o fortalecimento do papel público do BB, para que o banco deixe de ser somente uma loja de venda de produtos de seguridade. O BB precisa ser cada vez mais o grande agente do crédito produtivo para gerar emprego e renda, atuando para fortalecer políticas públicas como a redução da taxa de juros e o aumento na concessão de crédito”, destacou Wagner Nascimento, que é diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

“O grande diferencial é que o Rafael vai trabalhar em sintonia com a Contraf-CUT e a grande maioria dos sindicatos. Em experiências anteriores de conselheiro eleito de administração do BB, na década de 1990, tivemos representantes que atuaram como oposição, dividindo o funcionalismo e enfraquecendo a nossa luta”, alertou Wagner.

O Sindicato também confia em Rafael para representar todos os segmentos do funcionalismo, do escriturário ao gerente, do comissionado ao caixa, do analista ao assistente, dos homens e das mulheres.

O que é o Caref

O Conselho de Administração do Banco do Brasil é composto por sete membros: três indicados pelo governo federal, o presidente do banco, dois indicados pelos acionistas minoritários (que hoje são nomeados pela Previ) e um eleito pelos funcionários.

“A eleição é uma conquista das centrais sindicais, capitaneada pela CUT. É um avanço importante porque dá à representação dos trabalhadores o direito de participar da instância máxima do Banco do Brasil, onde são tomadas as decisões estratégicas, desde negócios, crédito, orçamento, investimentos, remuneração dos dirigentes, dentre outras questões”, avaliou Wagner Nascimento.

“Por isso é importante que o funcionalismo eleja um representante realmente comprometido com seus interesses”, acrescentou.

A Lei 12.353/2010 determina que toda empresa pública ou de economia mista com mais de 200 empregados, controlada pela União, deve ter um representante dos funcionários no seu Conselho de Administração, escolhido pelo voto direto. A reivindicação das centrais sindicais foi apresentada ao então governo Lula, que a encaminhou ao Congresso Nacional, sendo aprovada e sancionada pelo ex-presidente em dezembro de 2010.

O mandato é de dois anos. A primeira eleição do Caref nesse novo formato, vencida por Rafael Matos, ocorreu em 2012.

Participam da disputa deste ano 147 candidatos. Caso nenhum deles consiga a maioria dos votos, haverá segundo turno de 2 a 6 de março, com os dois concorrentes mais votados.

Os trabalhadores do BB já tiveram um representante no Conselho de Administração entre 1993 e 2001, conhecido como Garef (Gabinete do Representante dos Funcionários). A representação, no entanto, foi extinta pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: