O Sindicato assinou, nesta sexta-feira, 18, em São Paulo, juntamente com a Contraf-CUT e federações, a 22ª Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários, que pelo décimo ano consecutivo incorpora aumento real de salário, além de valorizar os pisos, melhorar a PLR e trazer outros avanços econômicos e sociais. Estas são conquistas da maior greve da categoria em mais de 20 anos, que durou 23 dias e chegou a paralisar 12.140 agências em todo país.

A Convenção Coletiva traz avanços econômicos e sociais, com questões importantes nas áreas de saúde e condições de trabalho. A partir de agora, os bancos são proibidos de enviar torpedos aos bancários para cobrar resultados e será criado um grupo de trabalho para discutir e identificar as causas do adoecimento de bancários.

Outro destaque é a conquista do vale-cultura, que pela primeira vez faz parte de uma convenção coletiva de trabalho no Brasil. Ele permitirá que bancárias e bancários tenham mais acesso à literatura, ao cinema, ao teatro e aos espetáculos de música.

O presidente do Sindicato, Cardoso, ressaltou a força da categoria nesta Campanha Nacional vitoriosa. “Mais uma vez, bancárias e bancários deram um show de mobilização e democracia. A força e a união da categoria conquistaram muitos avanços e aumento real pelo décimo ano consecutivo. A greve histórica de 23 dias foi marcada pela intensa adesão dos bancários, que lotaram as assembleias e discutiram democraticamente as propostas apresentadas pelos bancos. O resultado desta mobilização é a assinatura de mais uma Convenção Coletiva que garante avanços econômicos e sociais. Valeu a luta”, afirmou.

As conquistas dos bancários na Campanha 2013

> Reajuste: 8,0% (1,82% de aumento real).

> Pisos: Reajuste de 8,5% (ganho real de 2,29%).
– Piso de portaria após 90 dias: R$ 1.148,97.
– Piso de escriturário após 90 dias: R$ 1.648,12.
– Piso de caixa após 90 dias: R$ 2.229,05 (que inclui R$ 394,42 de gratificação de caixa e R$ 186,51 de outras verbas de caixa).

> PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694,00 (reajuste de 10%), limitado a R$ 9.087,49. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 19.825,86.

> PLR parcela adicional: aumento de 2% para 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 3.388,00 (10% de reajuste).

> Antecipação da PLR até 10 dias após assinatura da Convenção Coletiva: na regra básica, 54% do salário mais fixo de R$ 1.016,40, limitado a R$ 5.452,49. Da parcela adicional, 2,2% do lucro do primeiro semestre, limitado a R$ 1.694,00. O pagamento do restante será feito até 3 de março de 2014.

> Auxílio-refeição: de R$ 21,46 para R$ 23,18 por dia.

> Cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.

> 13ª cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.

> Auxílio-creche/babá: de R$ 306,21 para R$ 330,71 (para filhos até 71 meses). E de R$ 261,95 para R$ 282,91(para filhos até 83 meses).

> Requalificação profissional: de R$ 1.047,11 para R$ 1.130,88.

> Adiantamento emergencial: Não devolução do adiantamento emergencial de salário para os afastados que recebem alta do INSS e são considerados inaptos pelo médico do trabalho em caso de recurso administrativo não aceito pelo INSS.

> Gestores ficam proibidos de enviar torpedos aos celulares particulares dos bancários cobrando cumprimento de resultados.

> Abono-assiduidade (novidade): 1 dia de folga remunerada por ano.

> Vale-cultura (novidade): R$ 50,00 mensais para quem ganha até 5 salários mínimos, conforme Lei 12.761/2012.

> Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho – Redução do prazo de 60 para 45 dias para resposta dos bancos às denúncias encaminhadas pelos sindicatos, além de reunião específica com a Fenaban para discutir aprimoramento do programa.

> Adoecimento de bancários – Constituição de grupo de trabalho, com nível político e técnico, para analisar as causas dos afastamentos.

Compromissos

> Inovações tecnológicas – Realização, em data a ser definida, de um Seminário sobre Tendências da Tecnologia no Cenário Bancário Mundial.

> Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho – Reunião específica para discutir aprimoramento do processo.

> Discutir um novo modelo de PLR antes da campanha nacional de 2014.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: