Agência do Santander em Itaúna passa por obras

 

O Sindicato esteve na agência 3165 do Santander, na cidade de Itaúna, nesta segunda-feira, 2 de dezembro, para verificar as condições de salubridade e segurança dos bancários e clientes após início de obras de revitalização e mudança de layout da unidade.

Na ocasião, estiveram presentes o funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Fernando César Lemos, e o também diretor da entidade Marco Aurélio Alves.

No momento da visita, os representantes do Sindicato verificaram que a agência se encontrava parcialmente limpa, porém ainda com muito serviço a ser executado, principalmente emassamento de paredes e pintura, o que poderá gerar bastante poeira e fortes odores de tinta.

Segundo informações levantadas pelo Sindicato, o cronograma prevê o prazo de duas semanas para término das obras. Os serviços de alvenaria começam sempre após o expediente bancário e terminam ao amanhecer, antes da abertura da agência.

Diante do exposto, o Sindicato entrou em contato, imediatamente, com o setor de Recursos Humanos (RH) do Santander cobrando a aceleração do cronograma de obras para minimizar os efeitos nocivos aos clientes e funcionários. Os representantes do banco informaram que contrataram duas faxineiras para a limpeza da agência e que tentarão, junto ao empreiteiro, que as obras causem o menor impacto possível.

Os representantes do Sindicato explicaram aos trabalhadores e clientes que, pelo fato de Itaúna contar com apenas uma agência do Santander, optou pela negociação com o banco, sem necessariamente impedir o funcionamento da unidade bancária.

“Estamos agindo para impedir que trabalhadoras e trabalhadores do Santander, assim como clientes e usuários dos serviços do banco, sejam expostos às condições de precariedade de atendimento em que se encontra a agência 3165. Não aceitaremos que o banco trate a saúde das pessoas com irresponsabilidade”, afirmou o funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Fernando Lemos.

Para Marco Aurélio, diretor regional do Sindicato, é fundamental que os bancários denunciem essa e outras situações de mal funcionamento de agências. “Já sabemos que outras unidades também passarão por obras e não vamos aceitar que funcionárias e funcionários trabalhem em condições insalubres. O Santander se preocupa demais com seu patrimônio e de menos com a saúde dos seus trabalhadores. Seguimos acompanhando de perto essa situação”, destacou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

 

Compartilhe: