O setor de auditoria do Banco do Brasil decidiu fazer anotações cadastrais de ações na Justiça contra o banco, inclusive as trabalhistas, em todas as contas de clientes, o que abrange os funcionários. A decisão expõe os bancários, é irregular e atingiu a 100% do funcionalismo da ativa e os aposentados com conta corrente no BB.

Essa medida causou um enorme desconforto aos trabalhadores, que procuraram os sindicatos para buscarem uma solução contra essa irregularidade. O Sindicato dos Bancários de BH e Região foi um dos que denunciaram esta situação para a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

A Confederação recebeu as demandas e contatou o BB na quinta-feira, 6 de fevereiro, reivindicando a retirada imediata das anotações. O banco informou à Contraf que a questão será resolvida.

Para Wagner Nascimento, funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato que representa Minas Gerais na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, além da cobrança que foi feita ao banco com o compromisso de solução, é importante que os bancários monitorem se as anotações do portal jurídico serão retiradas. “O Sindicato aguardará a retirada das anotações e, não sendo realizada, acionará juridicamente o Banco do Brasil”, afirmou.

Plano de Função: prorrogado direito de fazer horas extras

Foi prorrogado, na última semana, o direito dos bancários que aderiram ao Plano de Funções do Banco do Brasil em realizarem até 20 horas extras por mês.

O banco não negociou o plano com os trabalhadores e as entidades sindicais em 2013. No entanto, na proposta aprovada pela categoria, após as negociações e a greve vitoriosa da Campanha Nacional 2013, constou o compromisso do BB em estender por mais 6 meses o direito, que vigorou até o fim de janeiro:

– Prorrogação por mais seis meses da possibilidade de realização de horas extras para os funcionários que aderiram a funções gratificadas, na forma prevista no plano de funções.

Compartilhe: