O Sindicato dos Bancários de BH e Região protocolou, nesta terça-feira, 18 de abril, ofício cobrando do Mercantil do Brasil a antecipação do programa corporativo de vacinação dos funcionários contra Gripe/Influenza. A entidade também cobrou a extensão do programa, em todo o país, sem ônus ou com desconto, para cônjuges e dependentes devidamente cadastrados no plano de saúde da empresa.

Para o Sindicato, o Mercantil tem plenas condições de ampliar o programa de imunização para os dependentes dos funcionários através de assinatura de convênio com a empresa responsável pela vacinação e imunização dos seus trabalhadores. Isto reduziria, drasticamente, os valores das doses de vacina a serem fornecidas.

Marco Aurélio Alves, funcionário do Mercantil e diretor do Sindicato, ressalta que a ampliação, por parte do banco, da vacinação para cônjuges e dependentes seria vista como um excelente benefício motivacional aos trabalhadores. “O vírus da Gripe/Influenza naturalmente sofre mutações, podendo atingir toda família dos trabalhadores. Desta forma, a vacinação constitui a forma mais eficaz para o controle da doença e de suas complicações. Com a família também imunizada, o funcionário trabalha com mais tranquilidade, produz mais e melhor”, afirmou.

Já Vanderci Antônio da Silva, funcionário do Mercantil do Brasil e diretor do Sindicato, ressaltou que “o Mercantil do Brasil também ganha financeiramente com os benefícios da vacinação corporativa, reduzindo as faltas ao serviço e a necessidade de visitas médicas aos funcionários. Então, nada mais justo que o banco amplie a imunização para os cônjuges e dependentes, trazendo alívio para os trabalhadores”.

Compartilhe: