Ciente das preocupações de trabalhadoras e trabalhadores bancários diante da pandemia do coronavírus, o Sindicato cobrou da Prefeitura de Belo Horizonte e do Governo do Estado de Minas Gerais que sejam suspensas as atividades das agências bancárias.

Nos documentos que já foram protocolados nos dois órgãos, a entidade cobra providências que garantam a preservação da saúde e da vida de bancárias e bancários, bem como dos usuários dos serviços dos bancos.

O Sindicato destaca diversas medidas legais já tomadas no Brasil em combate ao coronavírus, como a Lei 13.979/2020, que trata das medidas para o enfrentamento da emergência de saúde pública, o projeto de lei de calamidade pública, e também o Decreto 17.304/2020 da Prefeitura de BH, que suspendeu o alvará de vários estabelecimentos em que possa haver aglomeração de pessoas.

Sendo assim, o Sindicato ressalta que “o quadro geral aconselha máxima cautela e restrição absoluta de funcionamento das agências em razão do constante fluxo de pessoas nas unidades bancárias, o que torna esses ambientes locais de perigo efetivo para a transmissão do Coronavírus”.

Nos documentos encaminhados, a entidade cobra que a Prefeitura inclua as agências no rol dos estabelecimentos mencionados no Decreto 17.304, com determinação da suspensão de seu funcionamento durante o prazo que as autoridades de saúde e sanitárias julgarem adequado. Da mesma forma, o Sindicato cobrou que o Governo do Estado de Minas Gerais suspenda o funcionamento das agências bancárias em todo o estado.

Veja aqui o documento protocolado na Prefeitura de Belo Horizonte.

Veja aqui o documento protocolado no Governo do Estado de Minas Gerais.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

 

Compartilhe: