Após o Bradesco anunciar a transformação de diversas agências, em todo o país, em Postos de Atendimento (PAs), o Sindicato entrou em contato com o setor de Recursos Humanos da matriz do banco, em São Paulo, no dia 16 de fevereiro, para cobrar informações e a manutenção do emprego dos funcionários afetados pelas mudanças.

Na base de Belo Horizonte e região, as mudanças ocorrerão no próximo dia 24 de março. As unidades de trabalho serão transformadas em PAs incorporados a agências em outros municípios. Já em Sete Lagoas, uma agência será fechada e absorvida por outra agência na mesma cidade. Confira abaixo:

Agência 6374 Nova Era – será transformada em PA incorporado à agência 1503 João Monlevade

Agência 6382 São Gonçalo do Rio Abaixo – será transformada em PA incorporado à agência 5633 Santa Bárbara

Agência 5549 Lagoa Dourada – será transformada em PA incorporado à agência 1471 São João Del Rei

Agência 5630 Rio Piracicaba – será transformada em PA incorporado à agência 1503 João Monlevade

Agência 5652 São Domingos do Prata – será transformada em PA incorporado à agência 1503 João Monlevade

Agência 6981 Raposos – será transformada em PA incorporado à agência 1891 Nova Lima

6651 Agência Avenida Antônio Olinto (Sete Lagoas) – será fechada e absorvida pela agência 3854 Avenida Emílio Vasconcelos Costa (Sete Lagoas)

Em resposta ao Sindicato, o Bradesco informou que os funcionários que não continuarem a trabalhar no próprio Posto de Atendimento serão transferidos para as agências incorporadoras. Em alguns casos, funcionários também poderão ser transferidos, gradualmente, para outras agências.

A luta em defesa do emprego é uma prioridade do Sindicato. Mesmo com os grandes lucros que segue obtendo, o Bradesco continua demitindo. Em 2016, o lucro do banco chegou a R$ 17,121 bilhões. O número de funcionários cresceu em decorrência da compra das operações do HSBC, mas, mesmo assim, no último trimestre do ano passado foram cortados 1.129 postos de trabalho. De acordo com o balanço, o banco encerrou 2016 com 5.314 agências em todo o país.

“Estamos acompanhando de perto a situação para cobrar do banco a manutenção dos empregos de todos os bancários e bancárias que serão afetados pelas mudanças anunciadas. É fundamental que os funcionários denunciem qualquer irregularidade neste processo ao Sindicato e aos diretores que visitam suas bases”, afirmou o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Carlos Augusto Vasconcelos.

Compartilhe: