O Sindicato dos Bancários de BH e Região completa, nesta sexta-feira, 27 de outubro, 85 anos de uma trajetória vitoriosa em defesa dos direitos das bancárias e dos bancários. Ao longo destas mais de oito décadas de história, a entidade se destacou na luta para garantir e ampliar conquistas para a categoria e para os demais trabalhadores brasileiros.

Desde a sua criação, em 1932, o Sindicato resistiu aos contratempos e comandou várias frentes de resistência em defesa do povo brasileiro e do Brasil. Assim foi na resistência contra a repressão nos anos de chumbo da ditadura militar (1964-1985), na defesa do patrimônio nacional durante o governo FHC e muitas outras lutas.

No atual cenário político, de ameaças aos direitos dos trabalhadores e às conquistas sociais do povo brasileiro, mais uma vez o Sindicato reafirma a sua tradição de resistência e reforça seu papel de protagonismo nacional para combater todos e quaisquer retrocessos.

Honrando esta tradição, o Sindicato liderou, em 2016, na sua base de Belo Horizonte Região, a maior greve nacional de bancários dos últimos dez anos. Foram 31 dias de demonstração de força em que, mais uma vez, prevaleceu a capacidade de mobilização e organização de uma das mais fortes categorias do país. Com grande adesão de bancárias e bancários, a greve pressionou os bancos e derrotou a política conservadora e perversa do governo federal. Neste ano, o Sindicato tem marcado presença nas ruas contra as reformas perversas promovidas pelo governo Temer que atingem em cheio conquistas históricas dos trabalhadores.

“Ao completar 85 anos o Sindicato continuar honrando a sua trajetória marcada por conquistas históricas dos trabalhadores. Parabéns ao Sindicato e a todas as bancárias e todos os bancários por essa linda história construída com coragem e determinação. A cada dia, temos mais certeza de que somente a luta nos garante”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

História de luta

Criado em 1932, no primeiro governo de Getúlio Vargas, o Sindicato surgiu em uma época de grandes transformações políticas no Brasil e na capital mineira. Os bancários de Belo Horizonte e região sempre lutaram por questões fundamentais, como horas extras, salário, políticas econômicas e sociais, defesa do patrimônio público brasileiro, entre muitas outras.

O Sindicato marcou sua força através de importantes momentos na história nacional, como a primeira greve sob seu comando, em 1946, na resistência à ditadura das décadas de 1960 e 1970, quando enfrentou os governos militares, clamou por democracia e garantiu espaço para os bancários no processo de abertura política.

Em 1987, filiou-se à CUT e, na década de 1990, durante o governo neoliberal de FHC, lutou contra a privatização dos bancos públicos, a perda de direitos conquistados com grande esforço e contra a precarização das condições de trabalho. Além disso, a entidade reagiu contra a política de reajuste zero imposta aos bancários da CAIXA e do Banco do Brasil. Através de campanhas salariais memoráveis, nestes 84 anos construiu uma história sólida de conquistas com destaque para a Convenção Coletiva de Trabalho(CCT) válida para os bancários de todo o território nacional.

Compartilhe: