Funcionárias e funcionários da agência do Itaú 5611 BH Av. Brasil estão aliviados com o retorno do horário de atendimento ao público de 10 às 16h desde o dia 1º de fevereiro. Esta foi mais uma conquista do Sindicato, que vinha acompanhando o caso da unidade de trabalho e cobrou do banco a revisão do horário de funcionamento para garantir a segurança e integridade dos bancários, vigilantes, clientes e usuários.

Desde que a agência começou a funcionar com horário estendido de 11 às 19h, os funcionários e vigilantes passaram a sofrer com ocorrências de assalto e perseguição após deixarem a unidade no final do expediente. A unidade de trabalho está localizada em uma região com alto índice de criminalidade e, nos arredores, existem duas praças que servem para consumo de drogas e abrigo de moradores de rua.

Segundo apuração do Sindicato, eram constantes casos de assaltos envolvendo funcionários. A entidade teve conhecimento inclusive de boletins de ocorrências recentes de empregados que, ao deixarem a agência, foram assaltados nas imediações, onde as ruas são escuras e desertas.

O Itaú tem se utilizado da resolução nº 2932/2002 do Banco Central para implantar, em várias agências, horários diferenciados. Dentre eles, o horário estendido de 11 às 19h. Nos shopping centers, as agências chegam a funcionar até as 20h, expondo ainda mais os funcionários.

O Sindicato já havia conquistado o fim do horário estendido na agência 0573 Praça Raul Soares do Itaú. A unidade de trabalho funcionava das 11h às 19 horas e, com a pressão do Sindicato, voltou ao horário padrão a partir do dia 14 de dezembro.

Para a funcionária do Itaú e diretora do Sindicato, Valdenia Ferreira, esta foi mais uma vitória do Sindicato, que possibilitará aos empregados saírem mais cedo e com mais segurança. “Continuaremos fiscalizando todas as agências com horários estendidos, e, ao menor risco à integridade dos funcionários, agiremos com rigor para exigir do banco o restabelecimento do horário padrão. O Sindicato sempre foi contra a implantação destes horários diferenciados por entender que eles colocam em risco a vida dos trabalhadores, vigilantes e clientes devido à movimentação de numerários em horário noturno”, afirmou.

Compartilhe: