Em cumprimento à cláusula 52ª do Acordo Coletivo de Trabalho, o Sindicato participou, nesta quinta-feira, 28, da primeira reunião da Mesa Temática de Ascensão Profissional e Comissionamento, em Brasília. Novas rodadas serão realizadas até maio. O funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato, Wagner Nascimento, representou a Fetraf/MG na reunião.

Na abertura da reunião, os representantes dos funcionários cobraram do banco uma mesa de negociação sobre o Plano de Funções implantado unilateralmente no dia 28 de janeiro que traz grandes prejuízos aos funcionários, com a redução do valor pago nas gratificações de função e também do salário daqueles que aderirem às funções gratificadas de 6 horas.

O Comando Nacional dos Bancários definiu na última sexta-feira, 22, um calendário de lutas nas próximas semanas para denunciar os problemas que os funcionários vêm tendo em consequência das atitudes tomadas pelo BB. O mais grave é que as atitudes da atual gestão de pessoas coloca a  instituição em risco ao aumentar drasticamente o passivo trabalhista devido aos ataques aos direitos dos bancários.

TRAVA CONTRA DESCOMISSIONAMENTOS (ACT) – AVALIAÇÕES SEMESTRAIS

Uma das primeiras cobranças feitas ao banco foi o esclarecimento sobre provável descumprimento da cláusula 44ª do ACT que estabelece trava contra descomissionamentos decorrentes de desempenho funcional. Os bancários não podem perder função sem o banco observar três ciclos avaliatórios consecutivos de GDP com desempenhos insatisfatórios. As avaliações sempre foram semestrais.

Nas últimas semanas havia instruções internas que geraram a suspeita de redução do tempo para três meses. O banco, porém, informou que não há mudança no ciclo avaliatório. A empresa explicou que está mudando a plataforma de recursos humanos e isso gerou a necessidade de algumas mudanças momentâneas para a implantação.

OUTRAS REIVINDICAÇÕES DOS BANCÁRIOS

Além de cobrar uma mesa de negociação sobre o Plano de Funções, também foi reivindicado que o BB apresente e discuta a nova IN 383, que trata de questões disciplinares.

Carreira de Mérito dos dirigentes sindicais caixas: os representantes dos trabalhadores exigiram que o banco regularize a Carreira de Mérito dos caixas executivos que estão em mandato sindical, pois o acerto não foi realizado para esses funcionários até o momento.

Pagamento da PLR: na reunião foi protocolado também ofício pedindo aumento nos valores da PLR e celeridade no pagamento (após a reunião foi informado que o crédito será feito na próxima sexta-feira, dia 8 de março).

Ranqueamento de “carteiras zeradas”: foi cobrado do banco que proíba o uso de ranking e a exposição na página da Dired de link com carteiras que não fizeram venda de nenhum produto de seguridade desde o início da campanha atual. Mesmo que o gerente esteja cumprindo metas em outros itens, ele tem sua carteira exposta negativamente por não ter contratado produto de seguridade num determinado período.

Avaliação

O funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato, Wagner Nascimento, que representou a Fetraf/MG na reunião, considerou positiva a primeira rodada da mesa temática. “Temos encaminhamentos de melhoria nos processos seletivos, tanto da rede de agências como nas unidades de apoio e direção geral. A reunião também foi importante para cobrarmos do banco uma negociação efetiva sobre o novo Plano de Funções e sobre a exposição dos gerentes de Relacionamento no ranking da Dired”, explicou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: