Durante a pandemia do coronavírus, o Sindicato segue acompanhando a situação das unidades de trabalho para fiscalizar as medidas de proteção à saúde dos trabalhadores e o cumprimento do que foi acordado com os bancos. Porém, em visitas a agências do Itaú, a entidade verificou problemas em relação ao rodízio de funcionários.

Em alguns casos, foi constatado que há ameaças de GRAs e GSOs de que o rodízio só será realizado se houver cumprimento de metas. Isto vai contra as reivindicações dos trabalhadores e o que vem sendo negociado pelo Comando Nacional dos Bancários com a Fenaban, para que os bancários não sejam pressionados principalmente por metas irreais para a atual situação.

O Sindicato também denuncia que, em algumas unidades, o rodízio está sendo realizado apenas na área comercial, enquanto a área operacional segue sem a implantação da medida. Da mesma forma, há agências em que apenas a área operacional realiza rodízio, sem que sejam contemplados os funcionários da área comercial.

Outro problema grave observado foram funcionários trabalhando em telemarketing em salas internas de unidades do Itaú sem o distanciamento adequado, o que coloca todos em risco.

“Todas essas situações vão contra o que foi acordado na mesa de negociação com a Fenaban, da qual o próprio Itaú faz parte. A orientação do banco Itaú, que confirmamos com o Departamento de Relações Sindicais, é que o rodízio seja implantado em todas as agências, exceto naquelas que já têm um número reduzido de trabalhadores. O rodízio não pode depender de metas e nem excluir uma parcela dos funcionários. Esta é uma questão de saúde e de responsabilidade diante da pandemia”, destacou Ramon Peres, que diretor do Sindicato e funcionário do Itaú.

Denuncie

O Sindicato reforça que toda irregularidade deve ser imediatamente denunciada para que se apure e se cobre caso a caso do Itaú. As denúncias são tratadas com sigilo absoluto. Para denunciar, bancárias e bancários podem utilizar o serviço de Fale Conosco, procurar diretamente os diretores que visitam as unidades ou entrar em contato pelo telefone (31) 3279-7800.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

 

 

Compartilhe: