O Sindicato recebeu denúncia de que, através do Correio Institucional para a gerência média e administradores, o Banco do Brasil exigia que as solicitações de CDC a clientes só seriam consideradas se tivessem algum seguro contratado em seu cadastro ou tivessem disposição de contratação. Os casos negativos seriam analisados à parte pela Super.

No mesmo dia, no entanto, a Superintendência reconheceu o equívoco e enviou um comunicado retificando a orientação anterior.

Coincidência ou não, no último dia 2 de agosto, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região através da matéria intitulada “Superintendente de SP assedia funcionários”, denunciou uma atitude da Superintendência do BB daquele estado, que se assemelha em muito a conduta que a Super MG estava traçando, mesmo tendo sido rapidamente contornada pelo correio retificador.

Esses fatos deixam claro que, por meio dessas orientações, o BB vem descumprindo claramente legislações, normativos e o seu próprio código de ética para atingir, por quaisquer meios, o fim pretendido.

O funcionário do BB e secretário de Pesquisa do Sindicato, Helberth Ávila, destaca que a entidade está atenta a essas atitudes perversas do banco e tomará todas as medidas cabíveis para defender os bancários. “O Sindicato não irá permitir práticas nefastas da administração do BB contra seu corpo funcional, contra normas legais e contra o próprio código de ética do banco”, afirmou.

Qualquer denúncia de má conduta da gestão pode ser feita pelo protocolo de Assédio Moral ou através do Fale Conosco. O sigilo do denunciante é garantido.

Compartilhe: