Foto: Arquivo Sindicato

Em reunião realizada nesta segunda-feira, 18, para a apresentação do Programa de Participação dos Resultados (PPR) 2013 do BDMG, o Sindicato exigiu que o banco realize o pagamento integral do PPR 2012 até o dia 1º de março. A entidade foi representada pelo presidente Cardoso e pelos diretores Carlos Augusto Vasconcelos e Cléber Wolbert. Também estiveram presentes os representantes dos funcionários do BDMG, Flávia de Castro e Pedro Vargas, e os representantes do banco, Ana Tereza Monteiro, gerente de gestão de pessoas, e Helger Marra Lopes, gerente de planejamento.

O BDMG tem se recusado a pagar os valores estabelecidos no PPR 2012 alegando não ter atingido a meta de captação de clientes. O Sindicato entregou documento exigindo que este pagamento seja realizado até 1º de março e ressaltando a importância do trabalho dos funcionários e seu esforço para atingir os objetivos traçados pelo banco.

Os representantes dos bancários entregaram também uma pauta específica de reivindicações dos funcionários para 2013/2014, complementar à Convenção Coletiva de Trabalho. Nesta pauta, constam reivindicações como a revisão do Plano de Cargos e Salários (PCS) e do processo de avaliação de desempenho.

Confira aqui a íntegra do documento sobre o pagamento do PPR 2012 e a pauta específica 2013/2014.

Durante a reunião, o banco afirmou que os pagamentos do PPR 2013 passarão a ser realizados de quatro em quatro meses, sendo o primeiro em maio de 2013. O Programa prevê, ainda, a diferenciação entre os funcionários com cargos de apoio – que devem receber 0,6 salário – e os que trabalham na área comercial – que devem receber 0,9 salário.

O Sindicato questionou o novo Programa e exigiu mudanças, por considerar abusivas as metas impostas pelo banco para o pagamento do PPR, fixadas sem a participação de representantes dos trabalhadores. Além disso, assim como no ano passado, os trabalhadores questionaram a diferenciação nos pagamentos, que trata de maneira desigual os funcionários e gera divisões internas no BDMG. O banco afirmou que apresentará uma resposta à entidade sobre as reivindicações.

Para o diretor do Sindicato, Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), o BDMG está apresentando novamente um PPR que desrespeita seus funcionários. “Além das metas abusivas que o banco impõe para que seus funcionários tenham direito ao pagamento da participação nos resultados, o BDMG estabelece valores diferenciados com base no cargo ocupado pelos bancários, privilegiando alguns setores em detrimento de outros. Exigimos que o BDMG respeite seus funcionários e que elabore um Programa de Participação nos Resultados justo e com a participação dos trabalhadores”, afirmou.

Compartilhe: