14/02/2012

 

Durante a reunião da Comissão Organizada dos Empregados do banco Itaú (COE-Itaú), e a direção de Recursos Humanos do banco os representantes dos funcionários cobraram  o cumprimento da cláusula 35ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que proíbe a publicação individual do ranking de empregados.

Foto: Paulo Pepe

Apesar desta importante conquista alcançada pelos bancários na campanha salarial do ano passado, no dia 3 de fevereiro, o Superintendente Comercial da Regional 70 da GDBHSUL enviou email para todos os seus subordinados divulgando o ranking com os nomes, CPF e data de admissão dos Gerentes de Relacionamentos (GRs) que não venderam nenhuma cota de consórcio em janeiro deste ano e exigindo que a situação não ocorresse novamente em fevereiro.

Diante do constrangimento, os gerentes registraram  queixa junto ao Sindicato pedindo que seus nomes e dados pessoais não fossem divulgados.

Durante a reunião da COE-ITAÚ em São Paulo, no último dia 10, o funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Kennedy Santos, entregou cópia do email ao diretor de Relações do Trabalho, Gilberto Trazzi Canteras, pedindo que o documento fosse encaminhado ao Ombudsman para apuração e o cumprimento da CCT.

Para Kennedy, é inadmissível que o banco se recuse a cumprir a cláusula 35ª da Convenção Coletiva de Trabalho. “Não podemos aceitar que um superintendente descumpra a Convenção Coletiva nacional que garante os direitos dos bancários e ainda exponha seus dados pessoais. A proibição da publicação de rankings é uma conquista dos bancários e não pode ser ignorada. Se tantos gerentes deixaram de vender cotas de consórcios é porque não é fácil, portanto são metas abusivas. Exigimos que o banco respeite os seus funcionários e cumpra o que foi acordado na Convenção Coletiva de Trabalho conquistada na campanha salarial do no passado”, afirmou.

 

Compartilhe: