Foto: Arquivo Sindicato

O Sindicato fechou, na manhã da quarta-feira, 3 de julho, a agência 8295 Praça Sete de Setembro do Itaú, no centro de Belo Horizonte, para protestar contra a falta de segurança no local.

A agência passa por reformas e o banco afirma que elas levarão pelo menos dois meses para ser concluídas. Mesmo assim, os empregados foram obrigados pelo banco a retornarem ao local menos de duas semanas após o início dos trabalhos de manutenção.

Para o funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Kennedy Santos, o banco, mais uma vez, colocou em risco a vida de seus funcionários. “Assim que tomou conhecimento de que a agência estava funcionando com a fachada sem o vidro frontal, revestida apenas com placas finas de madeira, o Sindicato providenciou o fechamento da unidade, que não funcionou até o banco reforçar a segurança do local”, explicou.

“É um absurdo o Itaú colocar o lucro antes da vida dos bancários. Os trabalhadores da agência já passaram pelo trauma de ter seu local de trabalho destruído e ainda foram obrigados a trabalhar sem qualquer condição de segurança, arriscando suas vidas pela ganância do banqueiro. O Sindicato continuará acompanhando e combatendo, inclusive com paralisações, a falta de segurança nas unidades de trabalho”, concluiu Kennedy Santos.

Compartilhe: