Fotos: Arquivo Sindicato

 

O Sindicato paralisou nesta quinta-feira, 6, seis agências do Santander na região central de Belo Horizonte. A ação foi realizada para protestar contra a onda de demissões promovida pelo banco desde a última semana. As unidades de trabalho permaneceram fechadas até o final do dia.

Para o funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Davidson Siqueira, as demissões representam o desrespeito do banco ao Brasil e aos brasileiros. “O Sindicato exige que o Santander pare imediatamente de demitir seus funcionários e reintegre os que foram dispensados. A atitude do banco não respeita os trabalhadores brasileiros, já que 26% dos exorbitantes lucros obtidos em todo o mundo saem do Brasil”, afirmou.

O funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Fernando Lemos, destaca que a atitude é arbitrária e vai contra as tentativas de negociação com banco. “Na última reunião de negociação permanente com o Santander, no dia 22 de novembro, reivindicamos o aumento nas contratações e o fim da rotatividade no banco. O que estamos vendo agora é absurdo, vai contra as demandas dos trabalhadores e não faz sentido diante dos bons resultados do banco”, explicou.

Nesta quarta-feira, 5, a Contraf-CUT enviou carta ao presidente do Santander Brasil solicitando a marcação de uma reunião para discutir a reintegração dos funcionários, a manutenção dos empregos e a melhoria das condições de trabalho no banco. Foi também enviada carta ao ministro do Trabalho e Emprego para denunciar as demissões e solicitar apoio do governo federal.

A carta para a presidência do Santander pode ser lida na íntegra aqui.

A carta para o ministro do Trabalho e Emprego pode ser lida na íntegra aqui.

 

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: