Em mais uma importante vitória do Sindicato, o juiz do Trabalho Jesser Gonçalves Pacheco, da 3ª Vara de Contagem, determinou a suspensão das atividades do posto bancário do Bradesco localizado no bairro Nova Contagem enquanto o banco não determinar a instalação de dispositivos básicos de segurança previstos em lei. O local de trabalho estava funcionando sem itens essenciais como portas eletrônicas de segurança com detectores de metais, guarda volumes e a presença de dois vigilantes armados.

Ao propor a ação, o Sindicato, através de seu Departamento Jurídico, argumentou que a unidade, inaugurada em 18 de dezembro de 2015, não satisfazia os requisitos básicos de segurança previstos na legislação federal e estadual para estabelecimentos em que ocorra guarda de dinheiro. A entidade argumentou que a manutenção da atividade econômica nessas condições acarretava riscos à vida e à saúde de trabalhadores e usuários.

Após a primeira audiência, em que o banco se recusou a promover as adequações necessárias em seu posto de atendimento, o juiz do Trabalho deferiu liminar em favor do Sindicato.

Em sua decisão, o Juiz argumentou que a “simples existência de caixas eletrônicos no posto bancário do reclamado situado em Nova Contagem, fato incontroverso nos autos, autoriza o deferimento da tutela de evidência/urgência requerida na inicial, a bem da segurança dos empregados que ali trabalham. Ora, como fartamente se noticia na mídia, diariamente os caixas eletrônicos são arrombados com explosivos e até mesmo guinchados com retroescavadeiras por ousados malfeitores. Não há como negar que o atendimento eletrônico chamado BDN – Banco Dia e Noite, no mesmo local do escritório de negócios, atrai a atenção dos ladrões, ainda mais em uma região de alta incidência de furtos e roubos”.

“Nossa luta diária e permanente garantiu mais uma vitória. Sempre ao lado dos bancários, já conquistamos, com muita mobilização, a instalação de equipamentos de segurança em diversas agências da base de Belo Horizonte e região. No caso de Nova Contagem, a atuação do Sindicato e a decisão da Justiça foram fundamentais para impedir que trabalhadores e clientes do posto de serviço continuassem expostos a graves riscos. Continuamos atentos e mobilizados contra qualquer abuso e em defesa dos trabalhadores bancários”, afirmou o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Paulo Corrêa (Capela).

Compartilhe: