Fotos: Alessandro Carvalho

Com alegria e mobilização, o Sindicato lançou, nesta quarta-feira, 13, a Campanha Nacional dos Bancários 2014 na base de Belo Horizonte e região. O ato de lançamento ocorreu em frente à agência do Itaú localizada na rua Rio de Janeiro, 471, na Praça Sete, com a participação de bancárias e bancários, e contou com a apresentação da banda Brasil Paralelo – que já é conhecida como “a banda dos bancários” – e esquetes da Cia dos Aflitos.

O conceito de mídia foi construído coletivamente por representantes de entidades sindicais de todo o Brasil e tem o objetivo de dialogar diretamente com os bancários e com a sociedade em geral, trazendo o mote “#queremosmais” e a imagem de um cabo de guerra entre banqueiros e bancários.

O Sindicato reafirmou a importância da luta para a ampliação das conquistas e dos direitos dos trabalhadores bancários e chamou todos a participarem ativamente da mobilização. Além disso, a entidade distribuiu jornais informativos à população e aos bancários sobre a Campanha.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, destacou que a participação de bancárias e bancários é fundamental para a construção de mais uma campanha vitoriosa. “Entregamos a pauta aos bancos e iniciaremos nossas negociações. Queremos mais saúde e condições de trabalho e exigimos o fim das pressões, do assédio moral, respeito à jornada trabalho e a valorização de bancárias e bancários. Daí, a importância de fortalecermos a nossa mobilização. Os bancos lucram como ninguém no Brasil e tiveram, em 2013, mais de R$ 60 bilhões. Somente no primeiro trimestre de 2014, a CAIXA lucrou R$ 1,5 bilhão e o Banco do Brasil R$ 2,67 bilhões. Estes números mostram que os bancos têm plenas condições de atender às reivindicações da categoria”, afirmou.

A pauta de reivindicações deste ano foi definida na 16ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada entre os dias 25 e 27 de julho, e referendada pelos bancários da base de BH e região em assembleia no Sindicato no dia 5 de agosto. A minuta foi entregue à Fenaban nesta segunda-feira, 11, e a primeira rodada de negociações já foi agendada para os dias 19 e 20 de agosto.

A categoria bancária reivindica reajuste salarial de 12,5%, PLR de 3 salários mais R$ 6.247, piso de acordo com o salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.979,25), o fim das metas abusivas e do assédio moral, mais segurança nas unidades de trabalho e igualdade de oportunidades.

A Campanha Nacional conta também com uma pauta política que trata de temas como o combate à terceirização, a reforma política, a reforma tributária, a democratização dos meios de comunicação, entre outros.

Confira as principais reivindicações:

– Reajuste salarial de 12,5%
– PLR: três salários mais R$ 6.247
– Piso: R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese)
– Vales alimentação e refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês cada (salário mínimo nacional)
– Fim das metas abusivas e do assédio moral que causam adoecimento de bancários
– Fim das demissões e da rotatividade, mais contratações, combate às terceirizações e à precarização do trabalho
– Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários
– Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós
– Mais segurança nas unidades de trabalho, com pelo menos dois vigilantes durante o expediente, instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários
– Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs)

Pauta geral

– Combate à terceirização em pauta no Congresso Nacional e no STF
– Reforma política
– Reforma tributária
– Democratização dos meios de comunicação
– Conferência Nacional do Sistema Financeiro
– Pauta da classe trabalhadora: fim do fator previdenciário, mais saúde, mais educação e transporte público

Compartilhe: