Foto: Raquel Araujo

O Sindicato paralisou a agência Pampulha do Bradesco, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira, 19, Dia Nacional de Luta pela valorização dos funcionários. Os representantes dos trabalhadores exigem melhores condições de trabalho, valorização e segurança. Durante o ato, o Sindicato distribuiu uma carta aos funcionários e à população denunciando o descaso do banco com a segurança em suas unidades de trabalho.

Além disso, o Bradesco continua sem dar resposta em relação ao descumprimento da lei municipal 10.200/2011 de Belo Horizonte, que obriga a instalação de biombos entre os caixas e espaços reservados para a fila de espera nas agências. De acordo com números da Polícia Militar, com a obrigatoriedade do uso de biombo reduziu em 57% os crimes de saidinha de banco em Belo Horizonte entre 2011 e 2012. Os dados apontam também que 97% das “saidinhas” ocorreram em agências que não contavam com os biombos, o que comprova a eficácia da medida e tira qualquer razão do Bradesco para descumprir a lei, motivo pelo qual diversas agências do banco já foram autuadas em Belo Horizonte.

O Sindicato também exige o fim das metas abusivas, do assédio moral e das demissões. Apesar do lucro de quase R$ 3 bilhões somente no primeiro trimestre de 2013, o banco fechou 592 postos de trabalho durante o mesmo período. Em 12 meses, foram 2.309 vagas fechadas, ao mesmo tempo em que cresceu o número de postos de atendimento e, consequentemente, o desgaste e a pressão exercida sobre os funcionários.

O diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco, Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), afirmou que “o Sindicato continuará paralisando as agências do Bradesco para exigir mais segurança e a instalação imediata de biombos nas unidades de trabalho, em cumprimento à legislação municipal”.

Compartilhe: