O Sindicato paralisou, durante a manhã do dia 17 de janeiro, as atividades da agência Pólo do Bradesco, localizada em Belo Horizonte, para exigir informações do banco sobre o processo de reestruturação a ser implementado e a transferência de funcionários da unidade de trabalho. Desde o ano passado, os representantes dos funcionários têm cobrado do banco informações sobre que mudanças serão realizadas e a garantia do emprego de funcionárias e funcionários afetados.

Em visita à agência realizada em 2013, o Sindicato foi informado que a reestruturação seria realizada com a transferência de 12 funcionários do Pólo para outras agências de Belo Horizonte. No entanto, ao entrar em contato com a matriz do banco em São Paulo, a entidade foi informada de que seriam realizadas, no total, 66 transferências.

Para esclarecer as informações e exigir um processo transparente, o Sindicato exigiu do banco, durante a paralisação, as informações corretas sobre as mudanças e o número de bancários afetados. O Bradesco confirmou que, a partir da próxima quarta-feira, 22, até o dia 27 de janeiro, será realizado o processo de transferência de 64 funcionários do Pólo para outras agências. O número apresentado inicialmente, de 66 bancários, foi reduzido já que dois funcionários são da Cipa e têm estabilidade legal. Em relação à Rodoban, o banco informou que as atividades serão mantidas e que não há qualquer dúvida em relação à manutenção do emprego dos 8 funcionários lotados na unidade.

O Sindicato então, exigiu que o Bradesco realize as transferências de forma não traumática, garantindo que a mudança do local de trabalho não prejudique o dia a dia dos bancários transferidos, o que foi acatado pelo banco. Além disso, foi exigida a manutenção da estabilidade dos funcionários que se encontram nesta situação.

Durante a negociação, realizada por conferência e na qual o banco foi representado pela diretora de Relações Sindicais, Eduara Cavalheiro e pelo gerente geral da agência Pólo, Geraldo Magela, o Sindicato também informou ao Bradesco que intervirá no processo de transferência caso algum funcionário se sinta prejudicado e denuncie alguma irregularidade.

Os representantes dos funcionários também cobraram do banco informações sobre planos futuros em relação à reestruturação da agência Pólo. O Bradesco afirmou que, após as 64 transferências, está prevista mudança apenas no setor de Conferência de Cheques, mas ainda não há data definida. O Sindicato exigiu que qualquer reestruturação seja negociada com a categoria antes de ser colocada em prática.

Ao final da negociação, o Sindicato organizou uma assembleia com os funcionários da unidade de trabalho e repassou as informações fornecidas pelo Bradesco sobre a reestruturação.

O funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Carlos Augusto Vasconcelos (Mosca), ressaltou que a manutenção do emprego é uma importante bandeira de luta da entidade. “O Sindicato sempre esteve atento às mudanças no banco e está em constante luta pela garantia do emprego dos funcionários do Bradesco. Em diversas outras ocasiões na própria agência Pólo e em outras agências, como no departamento Corporate da agência Centro, acompanhamos de perto as reestruturações para garantir que bancárias e bancários tivessem seus direitos assegurados. Contamos com o apoio dos funcionários para que esta luta continue e se fortaleça a cada dia”, afirmou.

Compartilhe: