O Sindicato paralisou, nesta sexta-feira, 4, as atividades da agência 3176 do Itaú na Praça Sete em Belo Horizonte. O fechamento ocorreu por falta de condições de trabalho e atendimento na unidade, que passa por obras estruturais.

Na agência, funcionários e clientes estavam convivendo com muita poeira decorrente da obra, além de entulhos e equipamentos deixados no chão. O Sindicato já havia alertado o banco por duas vezes sobre a situação, cobrando que houvesse cuidado em relação à obra. O Itaú, porém, ignorou os alertas e não tomou as medidas necessárias.

A situação, que já era grave, chegou a um limite quando, nesta sexta-feira, 4, um funcionário passou mal e teve que ser levado de ambulância para o hospital. Diante disso, o Sindicato foi ao local e fechou a agência durante todo o expediente. Bancárias e bancários da unidade foram realocados em outras unidades.

“Não aceitamos que funcionárias e funcionários sejam expostos a um ambiente insalubre e com condições precárias de trabalho, como estava ocorrendo na agência 3176. Isso demonstra o total desrespeito do banco com seus trabalhadores e clientes”, afirmou a funcionária do Itaú e diretora do Sindicato, Jacqueline dos Santos.

Já Antônio Guimarães (Magaiver), que também é diretor do Sindicato, destacou que a entidade acompanha o caso. “Já entramos em contato com o Itaú para cobrar solução para o grave problema na unidade. Estaremos aqui, na segunda-feira, dia 7 de outubro, para garantir que haja condições de trabalho e atendimento. Em caso contrário, fecharemos novamente a agência”, alertou.

 

 

Compartilhe: