Foto: Arquivo Sindicato

Mais uma vez, o Sindicato teve que paralisar as atividades de uma agência do Itaú localizada na rua da Bahia, no centro de Belo Horizonte, por falta de condições de trabalho. No local, já havia sido verificado e denunciado, em outras ocasiões, um forte cheiro de cola prejudicando a saúde de bancárias e bancários.

Durante a paralisação, realizada na última sexta-feira, 2, o Sindicato exigiu que o banco tomasse as devidas providências para solucionar o problema e o representante do banco informou que as  medidas judiciais necessárias estão sendo providenciadas para colocar fim ao cheiro proveniente de uma obra realizada próximo à agência.

Para a funcionária do Itaú e diretora do Sindicato, Luciana Duarte, a ação foi necessária para garantir a saúde dos trabalhadores. “Só de permanecer na porta da agência durante a paralisação já ficamos com os olhos vermelhos e dor de cabeça, imagine então ter que trabalhar o dia inteiro no local. Enquanto as medidas jurídicas contra o descaso da obra não surtirem efeito, os trabalhadores não podem ser obrigados a conviver e a adoecer por causa desta situação. Além de cobrar metas abusivas e extrapolar a jornada de trabalho, o Itaú não investe na qualidade de vida de seus funcionários. Exigimos solução imediata para o problema”, afirmou.

Compartilhe: