O Sindicato paralisou, nesta segunda-feira, 1, as atividades de duas agências do Santander no bairro Cidade Nova, em Belo Horizonte, para exigir melhores condições de trabalho no banco. Os representantes dos trabalhadores continuarão realizando as paralisações em unidades de trabalho de diversos bairros da capital para denunciar o descaso do banco.

Desde o início de junho, já foram paralisadas as atividades de agências nos bairros Horto, Gutierrez e Barro Preto, nas ruas Carijós, Espirito Santo e Araguari, na praça Sete, e na avenida Francisco Sá. Mesmo assim, o banco mantém sua postura intransigente e de desrespeito em relação às reivindicações dos funcionários.

Os trabalhadores exigem o fim das metas abusivas e do assédio moral, o fim da rotatividade, mecanismos que protejam o emprego contra demissões imotivadas no banco, mais segurança e melhores condições de trabalho nas agências. Em alguns casos, gerentes administrativos e coordenadores têm que assumir a função de caixas por falta de funcionários.

No final de 2012, o Santander promoveu uma série de demissões, que totalizaram o corte de 975 postos de trabalho de acordo com dados do Dieese.

O funcionário do banco e diretor do Sindicato, Davidson Siqueira, critica a absurda postura do Santander tendo em vista seus lucros bilionários. “Mesmo tendo lucrado, no Brasil, mais de R$ 6 bilhões em 2012, o Santander demitiu e continua demitindo bancários, comete assédio moral e cobra metas abusivas dos funcionários. O Sindicato continuará com a mobilização para exigir respeito aos trabalhadores”, afirmou.

Compartilhe: