O Sindicato paralisou, nesta terça-feira, 2, as atividades de mais duas agências do Santander localizadas na avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte. O ato faz parte de uma série de paralisações promovidas pelo Sindicato, desde o início de junho, para denunciar o descaso do banco.

Até agora, já foram paralisadas as atividades de 19 agências da capital mineira nos bairros Cidade Nova, Horto, Gutierrez e Barro Preto, nas ruas Carijós, Espirito Santo e Araguari, na praça Sete, e na avenida Francisco Sá. Mesmo assim, o banco mantém sua postura intransigente e de desrespeito em relação às reivindicações dos funcionários.

Os trabalhadores exigem o fim das metas abusivas e do assédio moral, o fim da rotatividade, mecanismos que protejam o emprego contra demissões imotivadas , mais segurança e melhores condições de trabalho nas agências. Em alguns casos, gerentes administrativos e coordenadores têm que assumir a função de caixas por falta de funcionários. Somente no final de 2012, de acordo com o Dieese, foram cortados 975 postos de trabalho.

O funcionário do banco e diretor do Sindicato, Davidson Siqueira, enfatizou que o Sindicato continuará se mobilizando e paralisando as atividades das agências para exigir respeito e condições dignas de trabalho no Santander. “Mesmo tendo lucrado, no Brasil, mais de R$ 6 bilhões em 2012, o Santander demitiu e continua demitindo bancários, comete assédio moral e cobra metas abusivas dos funcionários. O Sindicato continuará com a mobilização para exigir respeito aos trabalhadores”, afirmou.

Compartilhe: