Fotos: Alessandro Carvalho

Em protesto contra o reajuste abusivo nos valores do plano de saúde dos aposentados do Itaú, o Sindicato realizou ato nesta terça-feira, 28, em frente à agência 590 – BH Av. Amazonas, localizada na esquina da rua Carijós com São Paulo. A manifestação contou com a presença de funcionários aposentados vestidos com roupas brancas, que demonstraram sua insatisfação diante do aumento de 61,62% nas mensalidades, ocorrido em maio deste ano.

Durante a manifestação, o Sindicato distribuiu carta aberta à população denunciando o abuso praticado pelo Itaú. A população também teve a oportunidade de aferir a pressão arterial com profissionais especializados. Ao final do ato, os manifestantes entraram na agência carregando balões brancos e esclareceram clientes e funcionários sobre o protesto.

Para defender o direito dos aposentados, o Sindicato acionou a 20ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, onde já tramita uma ação que fixou em definitivo os índices da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) como limite máximo para aumento das mensalidades do plano de saúde, denunciando a insistência do banco em descumprir a decisão judicial. Para 2015, o aumento autorizado foi de, no máximo, 13,55%. A audiência foi marcada para o dia 30 de setembro mas o Sindicato já entrou em contato com a Justiça pleiteando sua antecipação.

“O reajuste de 61,62% ultrapassa qualquer limite razoável e vai contra determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A cada dia, o Itaú se supera. Primeiro, adoece o bancário com a pressão insuportável para o atingimento metas absurdas. Depois, sucateia o plano de saúde, dificultando que o bancário adoecido encontre tratamento adequado. Agora, impõe um aumento injustificável no plano de saúde do aposentado, tornando impossível o seu pagamento. Como se não bastassem todos estes absurdos, o banco desrespeita uma decisão judicial”, afirmou Ted Silvino, que é funcionário do Itaú e diretor do Sindicato.

Desde 2003, o Sindicato luta na Justiça para garantir a manutenção do plano de saúde para os aposentados e para limitar o reajuste das mensalidades dos aposentados aos limites estabelecidos pela ANS para os planos individuais. Embora o banco tenha cumprido essa decisão entre 2006 e 2012, desde então ele vem sucessivamente reajustando as mensalidades acima do valor autorizado pela Justiça.

O desrespeito do Itaú para com os trabalhadores e às normas estabelecidas não tem qualquer justificativa plausível diante dos lucros bilionários obtidos pelo banco nos últimos anos. Apenas no 1º trimestre de 2015, o Itaú lucrou R$ 5,7 bilhões, sendo um valor recorde entre os bancos para o período. Em 2014, o lucro do banco ultrapassou os R$ 20 bilhões e para este ano a expectativa é de um lucro superior a R$ 22 bilhões.

Compartilhe: