O Sindicato dos Bancários de BH e Região informa a todos os trabalhadores que vem tomando todas as medidas necessárias para contribuir no combate à pandemia do coronavírus (Covid-19). Entre as mudanças já realizadas pela própria entidade, estão o afastamento de funcionários do grupo de risco, redução no horário de funcionamento, teleplantão nos departamentos Jurídico e de Saúde, contratação de mais pessoal para higienização dos espaços, compra de álcool em gel para todos os departamentos, trabalho remoto entre outras.

Para proteger a categoria, o Sindicato buscou, desde a primeira reunião do Comando Nacional dos Bancários com os bancos sobre o tema, cobrar medidas efetivas e viabilizar ações que evitem a contaminação e a propagação do vírus. Nenhuma categoria de trabalhadores, no Brasil, agiu de forma tão rápida, conseguindo a liberação de bancários que estão no grupo de risco, implantação de trabalho remoto, reforço na limpeza das unidades entre diversas outras medidas em todos os bancos.

Todavia, várias reivindicações ainda não foram cumpridas por alguns bancos e o Sindicato aguarda resposta de um ofício encaminhado ao Banco Central. No documento, a categoria cobra a redução do horário de atendimento (10 às 14h) e liberação do máximo possível de pessoas para o trabalho em home office.

Lamentavelmente, os bancos insistem em dar mais valor ao dinheiro do que à vida de seus trabalhadores e clientes. Reivindicamos a suspensão imediata das metas, retorno da ultratividade (que garante os direitos previstos na CCT até assinatura de um próximo acordo), suspensão do atendimento em agências e PABs em hospitais e aeroportos e padronização das medidas adotadas por todos os bancos.

Na base do Sindicato dos Bancários de BH e Região, são mais de 3 mil agências bancárias. A paralisação das atividades pode acarretar diversos problemas, como processos judiciais, desconto dos dias parados e até mesmo demissões. Cabe destacar, também, o anúncio de uma Medida Provisória do governo federal que permitiria a redução das jornadas e dos salários dos trabalhadores durante o período da pandemia.

O Sindicato destaca, também, que o decreto 17.304 publicado nesta quarta-feira, 18, pela Prefeitura de Belo Horizonte não estabelece a suspensão dos alvarás de funcionamento das agências bancárias.

Ainda nesta quinta-feira, 19, o Sindicato irá encaminhar ofícios para a Prefeitura de Belo Horizonte, o Governo de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais e Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte para cobrar medidas e apoio para o cumprimento das reivindicações da categoria, além do fechamento imediato das agências.

O Sindicato reforça, ainda, que sempre esteve e estará ao lado da categoria bancária na defesa dos seus direitos e condições de trabalho, além de cumprir com o seu papel social nesse momento de grave crise de saúde que a humanidade está enfrentando.

 

Compartilhe: