O Sindicato, a CUT e outras centrais sindicais reagiram contra as mais recentes medidas editadas pelo atual governo,  que atacam frontalmente os direitos dos trabalhadores. São elas a Medida Provisória 905 e o Plano Mais Brasil que praticamente liquidam com a jornada de seis horas prevista na CLT e demais acordos coletivos. E além disso abre espaço para discussão de participação nos lucros e resultados sem negociação com o sindicato, de uma forma impositiva pelas empresas.

A medida provisória 905 é mais um atentado aos trabalhadores brasileiros. E uma afronta em especial aos bancários e bancárias. O atual governo, mais uma vez, mostra que está do lado dos banqueiros e dos empresários mais gananciosos desse país. Através dessa MP, ataca os bolsos e a jornada dos bancários e de outras categorias. Ao mesmo tempo em que, por meio do pacote de Guedes (chamado de plano ‘mais Brasil’), anunciado uma semana antes, corta recursos do Estado para pagar juros da dívida pública, dando assim mais dinheiro aos banqueiros.

Nesta quinta-feira, 14 de novembro, o Comando Nacional dos Bancários reúne-se com a Fenaban (federação dos bancos), no Rio de Janeiro, e os trabalhadores irão colocar a MP 905 em pauta e irão cobrar dos bancos que cumpram o que está clausulado na Convenção Coletiva da categoria, como a jornada, a PLR e o descanso aos finais de semana. Os representantes dos bancários vão cobrar coerência da Fenaban e respeito à mesa de negociação e à  CCT, que tem validade nacional.

O Sindicato também irá pressionar deputados e senadores para que votem contra a MP 905, no Congresso. “Alguns artigos da MP já estão valendo desde a data em que foi editada, ou seja, desde segunda-feira 11, mas como é uma medida provisória, ela perde a validade caso não seja aprovada pelo Poder Legislativo em um prazo de 120 dias” alertou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

Segundo Eliana, o Sindicato também vai analisar o que pode fazer juridicamente contra a MP, que em alguns aspectos é inconstitucional, já que vários juízes e procuradores do Trabalho, e algumas entidades como a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho [ANPT], já se manifestaram contra a Medida.

Bancárias e bancários devem pressionar deputados e senadores para que votem contra a MP 905. Para isso devem mandar  mensagens através de e-mails ou por quaisquer outros meios, dizendo aos parlamentares que são contra essa medida. “Precisamos estar unidos, atentos e mobilizados para defender nossos direitos. O Sindicato como sempre lutará em todas as frentes possíveis, e para isso contamos com a participação de todos nessa luta”, ressalta Eliana Brasil

> Mande e-mail para os deputados por aqui

> Mande e-mail para os senadores por aqui

> Diga NÃO à MP 905 na consulta pública

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e SP Bancários.

Compartilhe: