Nesta sexta-feira, 19, Dia Nacional de Luta contra as reestruturações promovidas pelo Banco do Brasil, o Sindicato realizou um ato e caixas do banco retardaram o funcionamento de agências em 1h. Os trabalhadores protestaram contra as mudanças impostas pelo banco, que prejudicam os bancários.

O ato se concentrou em frente ao prédio do BB localizado na rua Rio de Janeiro, no centro de Belo Horizonte. No local, funciona a Superintendência Estadual do banco e também a Gestão de Pessoas (GEPES).

Com adesão de funcionárias e funcionários à mobilização, o Sindicato cobrou a realocação de funcionários que perderam o cargo e criticou as mudanças de local de trabalho impostas para que trabalhadores mantenham seus salários.

Em BH e região, a reestruturação foi responsável por muitos cortes em diversas funções, principalmente caixas executivos. Por isso, os trabalhadores cobram a priorização e realocação dos funcionários, assim como a prorrogação e a manutenção da gratificação de caixa e de demais cargos e funções.

Durante o ato, os trabalhadores também destacaram a importância do Banco do Brasil, enquanto banco público, para o desenvolvimento do país. Uma carta foi entregue à população e aos funcionários para explicar melhor o atual momento, chamar atenção para a luta em defesa do BB e também protestar contra as reestruturações e os cortes.

Para Wagner Nascimento, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a manifestação de hoje, com a presença de vários bancários teve, como objetivo alertar todos quanto aos problemas das reestruturações feitas pelo Banco do Brasil. “Ainda temos funcionários sem realocação da reestruturação do ano passado e, novamente, temos esse problema com centenas de bancárias e bancários em Minas Gerais. O que cobramos do banco é a realocação em cargos equivalente e que garanta aos caixas a prorrogação da gratificação por pelo menos mais 4 meses”, afirmou.

 

 

Confira mais imagens do ato desta sexta-feira:

 

 

 

Compartilhe: