Nesta sexta-feira, 15 de janeiro, o Sindicato realizou ato em frente ao prédio do Cenop/Genop do Banco do Brasil, na rua da Bahia, 2500, para protestar contra o modelo de reestruturação na Vice-Presidência de Serviços e Infraestrutura (Visin) anunciado pelo BB. Funcionários de todo o Brasil realizam um Dia Nacional de Luta, nesta sexta, em defesa dos direitos dos trabalhadores e contra a redução de quadros de pessoal.

A reestruturação foi apresentada por representantes do BB à Comissão de Empresa dos Funcionários em reunião realizada no dia 7 de janeiro. O modelo prevê a criação de sete novos centros e a centralização de serviços. Ela envolve as principais localidades onde já existem os grandes centros de serviços e logística e, praticamente, todos os locais com plataformas PSO.

De acordo com o banco, as mudanças atingirão as cidades de Belo Horizonte, Belém, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Em Belo Horizonte –  embora o banco esteja dificultando a disponibilização das informações de forma clara e precisa –  está previsto o corte de 53 vagas, segundo números preliminares repassados ao Sindicato, após muita insistência, pela diretoria responsável pela condução da reestruturação. Neste número, estão incluídos 29 funcionários com cargo de assessor de Engenharia, diversos gerentes de Setor, assistentes e escriturários.

Os bancários cobram que haja respeito e atitude mais humanitária por parte do Banco do Brasil, tendo em vista que o prazo estabelecido para que haja a definição de mudança de cargos por parte dos funcionários e funcionárias envolvidos foi de apenas 10 dias úteis. Com isto, os trabalhadores e trabalhadoras afetados estão passando por profundo estresse e insatisfação.

Além disso, é preciso que haja um esforço verdadeiro e efetivo por parte do banco para realocar os atingidos pela reestruturação, de forma a minimizar os impactos e mudanças na vida das pessoas envolvidas no processo.

No dia 20 de janeiro, o tema será tratado em reunião entre representantes dos funcionários e a direção do banco.

“O Sindicato dos Bancários de BH e Região, assim como vários outros espalhados pelo Brasil, não descansará até obter, por parte do BB, uma mudança de atitude em relação ao desrespeito e à negligência demonstrados em relação aos colegas atingidos pela mudança na estrutura organizacional da Visin/Disec. Não é justo que, em apenas uma semana ou dez dias, funcionários e funcionárias tenham que abandonar tudo o que construíram em uma vida de trabalho dedicado ao banco. E o que é pior, percam sua função gratificada e ainda tenham que trabalhar com a espada da próxima reestruturação sobre a cabeça”, afirmou o funcionário do BB e diretor do Sindicato, Helberth Ávila.

Compartilhe: