Em defesa da manutenção da CAIXA 100% pública e contra qualquer retrocesso, o Sindicato realiza, nesta sexta-feira, 27, ato em frente ao prédio do banco na rua dos Tupinambás, no centro de Belo Horizonte. A concentração terá início às 10h e a participação de todos é fundamental para mostrar à sociedade a importância do banco público para o desenvolvimento do Brasil.

Desde 2003, a CAIXA vem intensificando ainda mais o seu papel social. Em 2014, o banco injetou R$ 689 bilhões na economia brasileira, englobando concessões de crédito, como o pagamento de benefícios sociais, investimentos em infraestrutura própria, remuneração de pessoal e destinação social das loterias.

É importante destacar também que, durante a grave crise financeira internacional iniciada em 2008, enquanto os bancos privados fecharam linhas de crédito, a CAIXA liberou recursos para manter a economia aquecida, evitando a recessão e o avanço do desemprego.

Hoje, o banco conta com as menores taxas de juros e as melhores condições para financiar o imóvel e outros bens. Sem o financiamento da CAIXA, o Brasil não estaria realizando o maior programa de construção de moradias populares de toda a sua história.

“Realizaremos um grande ato em defesa deste patrimônio do Brasil e do povo brasileiro. O papel da CAIXA enquanto banco 100% público é essencial para as políticas públicas e para assegurar o crescimento econômico do Brasil. Estamos mobilizados para mostrar que somos definitivamente contra a possível abertura de capital”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

Encontro de Delegados Sindicais debate papel social da CAIXA

Nesta segunda-feira, 23, o Sindicato realizou o Encontro de Delegados Sindicais para debater a importância da CAIXA enquanto banco 100% público. Durante todo o dia, os participantes discutiram o papel social da CAIXA e sua importante contribuição nas políticas públicas.

O evento contou com a participação de diretores e delegados sindicais da base do Sindicato, da presidenta da Fetrafi-MG, Magaly Fagundes, do vice-presidente da Fenae, Cardoso, da suplente do Conselho de Administração da CAIXA, Rita Serrano, da coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), Fabiana Matheus, do secretário-Geral da CUT-MG, Jairo Nogueira, e do presidente do Sindicato dos Economistas de Minas Gerais, João Santiago, que declarou apoio à luta dos empregados.

Compartilhe: