O Sindicato e a “Porta do Inferno” seguem percorrendo cidades da base de BH e região para denunciar o desmonte que vem sendo promovido pelo governo Temer. Um ato foi realizado nesta quarta-feira, 12, em frente a uma agência do Santander em Sete Lagoas. Durante a mobilização, o Sindicato denunciou as ameaças representadas pelas reformas da Previdência e trabalhista, assim como a lei da terceirização irrestrita.

O ato contou com o apoio da população do município, que foi convocada a participar da Greve Geral que será realizada em 28 de abril.

Bancárias e bancários da base de BH e região realizam uma Assembleia Geral Extraordinária na próxima terça-feira, 18 de abril, para deliberar sobre as paralisações no dia da Greve Geral. Para mais informações, clique aqui.

Os ataques do governo Temer atingem importantes conquistas do povo brasileiro, como a Previdência Social e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A política de Temer já vem atingindo também os bancos públicos, como a CAIXA e o BB, que sofrem com reestruturações, o fechamento de agências e a falta de bancários nas unidades de trabalho. Além disso, importantes programas como a Farmácia Popular e o Mais Médicos estão em risco.

“A população vem percebendo que as medidas adotadas pelo atual governo visam destruir direitos fundamentais para garantir os interesses de grupos que financiaram a chegada de Temer à presidência. Temos que estar atentos e mobilizados para enfrentar esta agenda neoliberal perversa, que trará graves consequências para o país. Estamos nas ruas, diariamente, para esclarecer a população sobre estes riscos e contamos com a participação de todos na Greve Geral”, destacou Eliana Brasil, presidenta do Sindicato.

Compartilhe: