Reforçando a mobilização, o Sindicato realizou um ato, nesta sexta-feira, 7 de abril, em frente à agência Inconfidência da CAIXA na região central de Belo Horizonte. A entidade denunciou a política de destruição de direitos promovida por Temer e convocou bancárias e bancários, de bancos públicos e privados, assim como toda a população, para aderir à Greve Geral que será realizada em todo o país no dia 28 de abril.

Trabalhadoras e trabalhadores se unem para enfrentar as reformas que visam precarizar as relações de trabalho, destruir a Previdência Social e enfraquecer as empresas públicas, como a CAIXA e o Banco do Brasil.

O Sindicato tem realizado atos diários em frente a agências de sua base e, por meio da “Porta do Inferno”, faz alusão ao verdadeiro “inferno” a que serão submetidos os brasileiros em consequência das medidas propostas por Temer.

A lei da terceirização, por exemplo, já aprovada no Congresso e sancionada pelo governo, permite que todas as funções nas empresas sejam terceirizadas. Com isto, muitos trabalhadores contratados diretos podem ser demitidos e substituídos por terceirizados, com menores salários, jornadas maiores, menos direitos e menos poder de negociação.

Já o PL 6787/16, que trata da “reforma” trabalhista e tramita na Câmara dos Deputados, visa flexibilizar direitos e colocar acordos negociados com os patrões acima da legislação trabalhista. Na prática, o projeto representará a destruição da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), acabando com importantes direitos conquistados.

Diante deste cenário preocupante, a mobilização é a arma dos trabalhadores para enfrentar o desmonte. Rumo à Greve Geral de 28 de abril!

Compartilhe: