O Sindicato repudia com veemência o ato de violência e censura contra o jornal do Sindicato dos Bancários d São Paulo, a  Folha Bancária ocorrida na noite desta quinta-feira, 4 de outubro, quando um policial militar e uma oficial de Justiça estiveram na sede do Sindicato, além das regionais da entidade, com ordem de busca e apreensão da última edição da FB. A representação protocolada na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo (Bela Vista – Capital) na mesma quinta-feira, foi assinada pela juíza Carla Themis Lagrotta Germano, e previa inclusive ordem de arrombamento, “necessário”.

 

A censura teve origem em pedido da coligação do candidato José Serra (Avança São Paulo – PSDB, PSD, DEM, PV e PR) que solicitou o recolhimento dos exemplares da Folha Bancária, além da retirada da versão online do site. O mandado afirma que a “matéria denigre a imagem” de Serra.

 

O jornal trazia na última página reportagem que analisava as propostas e trazia o histórico dos candidatos que lideram a pesquisa à prefeitura de São Paulo: Russomano, Serra e Haddad. Também declarava o apoio da maioria da direção executiva da entidade a Fernando Haddad (PT), o único a receber e se comprometer com a Agenda da Classe Trabalhadora. 

 

Esta é a terceira vez que Serra investe contra a liberdade de expressão dos trabalhadores, quando o assunto não lhe agrada. Em 2006 e 2010, duas edições da Revista do Brasil, uma que trazia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outra com a então candidata à presidência Dilma Rousseff, foram censuradas por solicitação da coligação tucana à época daquelas eleições. A Revista do Brasil é mantida por cerca de 60 sindicatos de diversas categorias profissionais.

 

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, prestou toda solidariedade aos companheiros de São Paulo. “Nós do Sindicato dos Bancários de BH e Região estamos juntos com os companheiros de São Paulo na luta pelo direito dos trabalhadores e trabalhadoras e repudiamos  mais este ato autoritário contra a liberdade de expressão e a democracia. Rechaçamos com indignação qualquer tipo de censura e reafirmamos o papel do sindicato, que além de defender os direitos dos trabalhadores, tem o dever de informar e fomentar o debate para que a categoria possa escolher um candidato que represente a nossa classe e justificar a democracia pela qual sempre lutamos. Juvândia, os bancários e as bancárias de Belo Horizonte estão ao seu lado, ao lado do Sindicato dos Bancários de São Paulo e ao lado da democracia”, enfatizou.

 

Compartilhe: