notasantander1_destaque

Imagem: Contraf-CUT

 

O Sindicato dos Bancários de BH e Região repudia a postura agressiva adotada pelo Santander contra a greve da categoria. De forma violenta, o banco vem tentando impedir a mobilização dos trabalhadores e desrespeita o direito de greve assegurado pelo artigo 9º da Constituição Federal.

Nesta quinta-feira, 22, o banco chegou ao absurdo de chamar a polícia para a bancária Maria Rosani Gregorutti, que é diretora executiva do Sindicato dos Bancários de São Paulo e funcionária do Santander. A trabalhadora estava no prédio da Torre, em São Paulo, onde funcionam a administração e a diretoria do banco, e foi levada pela Polícia Militar. O Sindicato ressalta que a dirigente exercia seu legítimo direito de greve e atuava nos locais de trabalho como garante a legislação.

Esta não é a primeira vez que o Santander mostra sua postura autoritária durante esta Campanha Nacional dos Bancários. Além de tentar forçar funcionários a furar a greve e exigir que cartazes sejam arrancados das fachadas, o banco tentou impedir paralisações em BH e região através de um interdito proibitório, instrumento muito utilizado no período da ditadura militar.

Porém, a tentativa do banco de acabar com a greve através da força fracassou, já que a Justiça do Trabalho reconheceu o direito dos trabalhadores. Em sua decisão, a juíza da 48ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte ressaltou que o banco “deve se atentar que a única forma do ente sindical conseguir a adesão de maior número de trabalhadores à greve é realizar piquetes em frente às agências, utilizando-se de faixas e presença humana, sendo que estes são os meios pacíficos autorizados por Lei. Entendimento contrário acabaria por ceifar o Direito de Greve”.

A greve dos bancários segue crescendo e chegou ao seu 17º dia nesta quinta-feira, 22. A adesão recorde deixa clara a indignação dos trabalhadores diante do descaso e do desrespeito dos banqueiros. O setor que mais lucra no Brasil, e para o qual não existe crise, tem obrigação de valorizar seus trabalhadores.

Por isso, o Sindicato reafirma a importância da mobilização e repudia qualquer tentativa de intimidação da categoria. Só a luta te garante!

Compartilhe: