Neste 1º de maio, o Sindicato parabeniza os trabalhadores e trabalhadoras de todo o país e ressalta a importância da mobilização para garantir e ampliar conquistas. Esta é uma data importante para a categoria bancária que, através de muita luta, conquistou uma Convenção Coletiva de Trabalho nacional, que ao longo de 20 anos tem garantido vários direitos para bancários e bancárias.

O Dia Mundial do Trabalho nasceu em 1889, em homenagem a uma greve geral que tomou as ruas de Chicago em 1º de maio de 1886. Na ocasião, milhares de trabalhadores protestaram contra as péssimas condições de trabalho a que eram submetidos e exigiram a redução da jornada. O movimento foi duramente reprimido pela polícia, o que resultou em diversas prisões, operários feridos e mortos.

No Brasil, a data foi consolidada em 1925, quando o presidente Artur Bernardes instituiu o dia 1º de maio como feriado nacional. A data ficou marcada, na história do país, como um dia de reivindicações dos trabalhadores e, na Era Vargas, foi o momento utilizado para o anúncio de importantes leis, como a instituição e o posterior reajuste do salário mínimo e a redução da jornada de trabalho.

Durante o período da ditadura militar, o Dia do Trabalhador também foi marcado por grandes manifestações, como em 1980, quando mais de 100 mil trabalhadores se reuniram em São Bernardo do Campo para exigir democracia e melhores condições de trabalho.

Com o lema “Nosso 1º de Maio é de Luta”, a CUT-MG realiza sua celebração do Dia do Trabalhador às 8h, na Praça da Cemig, localizada na Cidade Industrial em Contagem.

Para o presidente do Sindicato, Cardoso, o dia 1º de maio serve para a reflexão sobre as conquistas e os desafios da classe trabalhadora no Brasil e no mundo. “Depois de muitos anos enfrentando a ditadura e o neoliberalismo em nosso país, conseguimos eleger um governo democrático e popular, no qual tivemos diversos avanços. Nós, trabalhadores, devemos permanecer unidos para enfrentar os patrões e avançar nas relações de trabalho. Parabéns trabalhador! Parabéns trabalhadora!”, afirmou.

Compartilhe: