O Encontro Nacional de Saúde dos funcionários do Banco do Brasil, realizado em São Paulo no último sábado, 28, definiu os dias 3 e 4 de outubro como dias de mobilização em defesa da Cassi e das empresas públicas. O objetivo é unir os funcionários na pressão com o Banco do Brasil pela retomada das negociações.

Em Belo Horizonte, o Sindicato visitou visitando setores do BB e realizou reuniões para tratar da Cassi nos locais de trabalho, com a distribuição de materiais informativos. No dia 3, a visita ocorreu no prédio da rua dos Carijós e, no dia 4, no prédio da Rua da Bahia.

O Sindicato debateu com bancárias e bancários sobre a importância de levantar o tema Cassi nos canais de comunicação internos do Banco do Brasil. Esta é mais uma forma de pressionar o banco para que sejam retomadas as negociações com as entidades representativas do funcionalismo.

Os diretores do Sindicato também destacaram que é fundamental que cada um converse com seus colegas a respeito da relevância da Caixa Assistencial na vida dos funcionários da ativa e, também, dos aposentados e seus familiares.

Para Luciana Bagno, que é diretora do Sindicato e representa Minas Gerais na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, “as tratativas com o banco têm que ser retomadas de imediato para que se possa buscar uma proposta factível para, pelo menos, dois terços do corpo associado votante”.

O Sindicato destaca que é preciso correr contra o tempo, pois a Direção Fiscal da ANS já está instalada na Cassi. Além disso, em dezembro, serão extintos os efeitos do Memorando de Entendimentos firmado em 2016, que garante o repasse mensal de, aproximadamente, R$ 50 milhões para a Caixa de Assistência.

O Sindicato alerta ainda que, se hoje as dificuldades de custeio da Cassi são preocupantes, a partir de janeiro de 2020, serão ainda maiores.

 

 

Compartilhe: