Nesta sexta-feira, o Sindicato voltou a cobrar do Itaú, segurança e condições de trabalho. Agora foi na agência 7369-Contagem Bairro Amazonas, na BR 381, que teve seus caixas de auto atendimento explodidos por dinamites na madrugada do dia 27. Com a explosão, os vidros das divisórias e da porta giratória quebraram e ficaram esparramados por toda a agência, parte do teto também se soltou.

O Sindicato representado por seus diretores e funcionários do Itaú, Kennedy Santos, Paulo Faria e Edmar Costa, estiveram na agência e exigiram que os funcionários fossem transferidos para outras unidades até que o banco providenciasse a reforma necessária que oferecesse novamente segurança e condições para o retorno ao trabalho de seus funcionários.

Para o funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Paulo Faria, o banco está sendo alvo fácil dos bandidos. “O Itaú não tem vigilância noturna em suas agência e os assaltantes ficam a vontade para escolher qual agência vão arrombar. Exigimos que os empregados só retornem ao trabalho na agência que foi arrombada após o banco adequá-la e oferecer novamente condições e segurança aos funcionários”, ressalta Paulo.

Já o também funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Edmar Costa, alerta que o banco precisa instalar além de vidros blindados nas agências, persianas ou insulfilm. “Nesta agência por exemplo, não tinha nem persianas e nem insulfilm. Os bandidos podem ter feito uma analise prévia do ambiente pelo lado de fora, visto que nada impedia a visão do interior da agência. Agora cabe ao banco atentar para a segurança dos funcionários e instalar imediatamente um destes itens”, afirma Edmar.

 

Compartilhe: