Representantes dos empregados da CAIXA participam, nesta quinta-feira, 29, de ato contra a privatização da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex). O evento, organizado pela Fenae e pelo gabinete da deputada federal Erika Kokay (PT-DF), ocorre no plenário 13 da Câmara dos Deputados. O diretor do Sindicato e vice-presidente da Fenae, Cardoso, participa do ato.

As entidades se manifestam contra a abertura de produtos lotéricos. A possibilidade de privatizar a popular “raspadinha” surgiu com a Resolução nº 8 do Conselho Nacional de Desestatização, publicada na edição de 1º de outubro do Diário Oficial da União. A norma cria a Caixa Instantânea S.A, subsidiária da CAIXA, a fim de viabilizar todo o processo.

Confira, clicando aqui, o discurso feito pelo presidente da Fenae, Jair Ferreira.

Confira, clicando aqui, o documento entregue aos parlamentares.

Na esteira da resolução do CND, há ainda a Medida Provisória 695/2015, publicada no DOU de 5 de outubro, que autorizou a exploração mercadológica de eventos de grande apelo popular e datas comemorativas, entre outros, com o objetivo de aumentar a atratividade comercial da Loteria Instantânea.

O movimento representativo dos empregados considera que a privatização do produto representa grande risco, podendo se tornar uma experiência para que, posteriormente, todo o setor seja entregue à iniciativa privada. Os trabalhadores cobram que a CAIXA busque formas de aproveitar o potencial de crescimento da Loteria Instantânea.

As entidades que representam os bancários da CAIXA também estão se mobilizando para barrar o próximo passo deste processo, que seria o Projeto de Lei do Senado 555 (PLS 555). O texto que está em tramitação cria a Lei Geral das Estatais, que pode abrir espaço para uma onda de privatizações.

A privatização da Lotex e de outros produtos ameaça ainda os repasses sociais feitos pelas Loterias CAIXA. Entre 2009 e 2014, R$ 28,59 bilhões foram destinados para Fies, Fundo Nacional da Cultura, Fundo Penitenciário, Fundo Nacional de Saúde, Comitê Olímpico, Comitê Paraolímpico e Seguridade Social, entre outros programas. O total representa cerca de 46% do montante arrecadado no período (R$ 61,33 bilhões).

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Fenae

Compartilhe: