Neste 1º de maio, Dia da Trabalhadora e do Trabalhador, o povo vai às ruas em diversas capitais do país para mostrar a resistência da classe trabalhadora contra os retrocessos impostos pelo governo Temer.

Além da reforma trabalhista, que destruiu direitos duramente conquistados, têm se intensificado os ataques do governo às empresas públicas, como a CAIXA e o Banco do Brasil, e também ao SUS, à educação pública e às políticas sociais que tanto contribuíram para o enfrentamento à desigualdade nos governos Lula e Dilma.

Em Belo Horizonte, a celebração do 1° de Maio será das 8h às 11h, na Escola Municipal Pedro Guerra, na Rua João Ferreira da Silva, 230. Já em Contagem haverá uma manifestação na Praça da Cemig, Cidade Industrial, seguida da 42ª Missa do Trabalhador, a partir das 7h30.

A programação de outras cidades pode ser encontrada no site da CUT: www.cut.org.br

Ato nacional unificado

Em Curitiba, capital onde o ex-presidente Lula está preso desde 7 de abril, um grande ato unificado se destacará como o primeiro a ser realizado desde a redemocratização do Brasil. Estarão presentes os presidentes das centrais sindicais, representantes dos movimentos sociais e parlamentares.

A atividade contará ainda com a presença de artistas, que se apresentarão a partir das 14h na Praça Santos Andrade (Praça da Democracia). Às 16h, será realizado o ato político.

Além da solidariedade ao ex-presidente, os trabalhadores irão defender pautas comuns de interesse da classe trabalhadora, como uma política econômica de geração de empregos e renda, seguridade e previdência social, o fim da lei do congelamento de gastos e a revogação da reforma trabalhista.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: